Classificados

VÍDEOS

Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

SUA OPINIÃO

Você mantém a tradição de colocar decorações de Natal em sua casa?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

24/05/2017

Um ano de atraso: Escolas que deveriam estar prontas continuam inativas

Imagem/Rafael Machi
Detalhes Not�cia
Na unidade do Residencial Gimenes, ainda há muito trabalho para a conclusão do prédio

DA REPORTAGEM

As crianças que moram nos bairros residênciais Gimenes e Gualter Monteiro, em Penápolis, ainda não podem aproveitar as creches-escolas que havia sido prometidas para elas próximas de suas casas. As obras que era para ter sido entregue em abril do ano passado ainda não foram concluídas. No caso do bairro Gualter Monteiro, a construção da escola está praticamente pronta o prédio já recebeu até mesmo a pintura. Entretanto, falta o mobiliário e equipamentos a serem usados em sala de aula e demais ambientes. Já na escola do residencial Gimenes, a situação é ainda pior. A obra necessita ser concluída, mas os trabalhos estão paralisados. Em abril de 2016, o DIÁRIO DE PENÁPOLIS já havia mostrado a situação de paralisação da obra. Juntas, as creches-escolas poderiam atender mais de 200 crianças. A reportagem retornou à creche-escola do Gimenes na manhã desta terça-feira (23). Nenhum funcionário da empresa responsável pela construção foi encontrado no local, que está cercado por mato. Por fora, foi possível observar que algumas das salas possuem azulejos, entretanto, ainda falta o serviço de acabamento nas demais, que ainda necessitam passar por finalizações e pintura. Do lado de fora da escola não existe piso de cimento, desta forma, o barro e o mato ainda tomam conta dos arredores. Apesar de terem sido instaladas, as janelas e portas do local ainda não possuem vidros, e a caixa d’água construída na unidade também precisa passar por finalizações. A obra, iniciada em abril de 2015, tem custo inicial de R$ quase R$ 1,6 milhão. Ela deveria ter sido concluída um ano depois, mas, após outras paralisações, a obra necessita de outras etapas para ser finalizada. Em abril do ano passado – ano após o fim do primeiro prazo da obra – o atraso já havia sido repercutido pelo DIÁRIO. A prefeitura havia informado na época que a empresa de Marília responsável pelo serviço, já havia sido notificada para retomar os trabalhos, e que ela havia pedido mais 180 dias para a conclusão.

Gualter
Sem atender as crianças, apesar de estar com seu prédio praticamente pronto, a creche-escola do bairro Gualter Monteiro aguarda apenas a compra e instalação de móveis e equipamentos usados na unidade. A reportagem também esteve no local e constatou que o prédio já recebeu pintura e apresenta seu lado externo praticamente terminado, inclusive com o plantio de grama. Durante a visita ao local, moradores próximos conversaram com a reportagem e externaram sua insatisfação sobre o fato. De acordo com um casal ouvido, a pintura havia sido finalizada há cerca de dois meses, mas que o prédio já estava pronto há mais tempo. Eles que possui filhos pequenos e que moram de frente com a entrada principal, disse ainda que aguarda com ansiedade a inauguração da unidade, já que seus filhos precisam ir ao bairro vizinho - Silvia Covas - para estudar. “Acho um desperdício uma escola como esta estar pronta, mas sem funcionar. Esta ansiedade não é somente nossa, mas também de muitos moradores, já que eles têm uma escola tão perto e precisam mandar os filhos para outros lugares mais longe”, afirmou o casal. Da mesma forma opinou uma mãe que acompanhou a reportagem. “As crianças do Gualter Monteiro poderiam frequentar esta escola. Seria melhor para elas e desafogaria a escola do Silvia Covas”, acrescentou. 

Outro lado
A reportagem entrou em contato com a prefeitura com questionamentos sobre a situação através de e-mail. A Secretaria Municipal de Educação, por meio de nota enviada pela Comunicação, informou que não possui condições, momentaneamente, de responder às questões, já que o atual titular da pasta, o Secretário Zeca Pansonato, e sua equipe chegaram recentemente ao cargo. “Tais profissionais tomaram posse há apenas uma semana, e estão ainda se inteirando de cada detalhe da secretaria. Um minucioso levantamento está sendo efetuado sobre cada serviço prestado, e em breve será possível oferecer as respostas solicitadas”, concluiu a nota.

(Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2019 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.