Classificados

VÍDEOS

Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

SUA OPINIÃO

Você mantém a tradição de colocar decorações de Natal em sua casa?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

14/08/2019

Região: Polícia Federal faz operação em Araçatuba e Clementina

Imagem/Reprodução Facebook
Detalhes Not�cia
Joias, dinheiro e droga foram apreendidos na casa de um dos suspeitos durante operação "Tudo Nosso"

DA REDAÇÃO

Pelo menos 10 pessoas foram presas na região de Araçatuba nesta terça-feira (13) durante a operação “#TudoNosso” da Polícia Federal acusadas de integrarem facção criminosa que praticava diversos crimes de desvios de recursos públicos em contratos fraudulentos de empresas “laranjas” e a prefeitura de Araçatuba. A facção é acusada de movimentar mais de R$ 15 milhões, segundo aponta a Polícia Federal. 
De acordo com a PF, foram expedidos 15 mandados de prisão. Na região de Araçatuba, dos 11 mandados autorizados pela Justiça, foram cumpridos dez até as 11h30. As demais prisões aconteceram em Itatiba, região de Jundiaí. Ainda na região de Araçatuba, policiais federais cumpriram mandados de buscas em diversos locais, entre eles na prefeitura de Araçatuba. Em Clementina também houve buscas. 
O empresário e sindicalista José Avelino Pereira, o Chinelo, é suspeito de fazer contratos fraudulentos com a prefeitura de Araçatuba. Ele o filho, Igor Tiago Pereira, atual presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Itatiba, foram presos durante a operação.
Em entrevista coletiva, a delegada Daniela Ferreira Maura Braga, da PF de Araçatuba, afirmou que o valor de R$ 15 milhões foi movimentado a partir do momento que a investigação começou, ou seja, há dois anos e meio. Possivelmente, a quantidade de dinheiro desviado pode ser maior ainda.
Segundo a polícia, o filho e um genro de José Avelino são apontados como sócios “laranjas” de empresas usadas como fachada para participar de licitações fraudulentas.
Mais de 150 policiais federais estiveram nas ruas para cumprir 14 mandados de prisão temporária e 37 mandados de busca e apreensão em Araçatuba, Clementina, Itatiba , Jundiaí e São Paulo.
Mandados de busca e apreensão foram cumpridos simultaneamente em pelo menos quatro secretarias da Prefeitura de Araçatuba, empresas e residências dos investigados.
Na casa do sindicalista, em Itatiba, os policiais apreenderam joias, dinheiro e droga. Já na sede do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas Mecânicas e de Material Elétrico de Itatiba e Região, a equipe da PF recolheu um malote com documentos.
Ainda segundo a Polícia Federal, investigações apontaram que José Avelino é o responsável por criar um esquema de desvio de recursos públicos mediante a utilização de várias empresas registradas em nome dos sócios e familiares. O principal objetivo do grupo era fraudar licitações e celebrar contratos de prestação de serviços com o município de Araçatuba.
Além da utilização das empresas, pelo menos uma organização social foi criada pelo líder do grupo e também foi utilizada para os desvios de recursos públicos.

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2019 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.