Classificados

VÍDEOS

LIVE SOLIDÁRIA BANDA TUNA
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

28/06/2019

Projeto Vizinhança Solidária é iniciado pela Polícia Militar

Imagem/Rafael Machi
Detalhes Not�cia
Encontro com comerciantes foi realizado para informações do programa e a participação de cada um

DA REPORTAGEM

A Polícia Militar de Penápolis iniciou oficialmente na cidade o Programa Vizinhança Solidária. O projeto foi debatido durante encontro realizado nesta quinta-feira (27) durante reunião do Conselho Comunitário de Segurança, o Conseg, promovido na sede do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomercio) e que reuniu diversas autoridades do setor da segurança e também da sociedade civil. Também participaram do encontro comerciantes da área central da cidade, já que o projeto está sendo implantado, inicialmente, no centro comercial, mas também já pode ser expandido para os bairros.
O programa foi criado pela PM onde, através de grupos de WhatsApp, vizinhos podem se comunicar e trocar informações sobre atitudes suspeitas próximas de suas residências.
Segundo o comandante da 2ª Cia da Polícia Militar de Penápolis, Alex de Moura Brito, o projeto está sendo lançado inicialmente com comerciantes da área central como uma forma de teste do novo programa. “Seu funcionamento é bastante simples, onde através do aplicativo de mensagens, o comerciante pode se comunicar com os demais sobre fatos ou atitudes que tenham chamado a atenção e que estejam relacionados à segurança. Por exemplo, a presença de um indivíduo suspeito percorrendo lojas da cidade, o que possibilita que os demais comerciantes participantes do grupo tenham atenção sobre ele”, comentou o capitão durante apresentação do projeto. 
Dentro de cada grupo do WhatsApp, existe um tutor, que é quem será referência dentro do grupo a fim de se manter a ordem dos assuntos comentados e o acréscimo de novos membros.
Além do encontro com comerciantes, um policial militar foi designado para manter as chamadas visitas comunitárias, passando as devidas orientações a cada participante. Além disso, cada membro recebe uma placa de identificação do programa.
Apesar do projeto estar sendo implantado juntamente com comerciantes, o programa pode ser expandido para os demais bairros da cidade, onde cada rua pode ter o seu grupo no aplicativo. “Basta a pessoa criar um grupo no WhatsApp e adicionar seus vizinhos que ajudarão neste monitoramento comunitário. Depois disso, basta procurar a Companhia da Polícia Militar para que seja feito o cadastro do grupo para que possamos acompanhá-lo. A partir daí os vizinhos passam a monitorar pessoas e atividades suspeitas próximo do local de onde moram e também outras situações que requer atenção”, explicou o capitão. “Apesar disso, sempre ressaltamos que em qualquer situação de emergência o telefone 190, da Polícia Militar, deve ser acionado imediatamente, e nunca o grupo como forma de acionar a PM”, ressaltou. 

Programa
De acordo com a Polícia Militar, a prevenção primária é o primeiro degrau no combate à criminalidade. O cidadão conhece e sente diariamente as causas e os efeitos do crime, cuja percepção se torna ferramenta indispensável para orientar as ações de polícia, por isso a importância da prevenção primária.
Na prática, o programa é voluntário e pode ser implantado em ruas de um determinado bairro ou região, ou com identificação de um estabelecimento comercial que tenha obtido o Certificado de Análise de Risco de Vulnerabilidade, tudo de acordo com a definição e orientação da Polícia Militar.

(Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2021 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade