Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis

SUA OPINIÃO

Você se preocupa em não compartilhar informações falsas sobre o Covid-19 em redes sociais na internet?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

20/08/2019

Prefeitura ainda acredita na vinda do AME para Penápolis

Imagem/Arquivo DIÁRIO
Detalhes Not�cia
Ao lado do prefeito Célio de Oliveira, o vice-governado do estado, Rodrigo Garcia, ainda havia levantado possibilidade de dois AMEs na região

DA REPORTAGEM

Gerou grande repercussão a notícia de que o Governo do Estado de São Paulo havia escolhido a cidade de Araçatuba para receber o Ambulatório Médico de Especialidades, o AME Cirúrgico, que realiza cirurgias de pequena e médica complexidade. A divulgação ocorreu na noite da última sexta-feira (16) pelo próprio prefeito de Araçatuba, Dilador Borges (PSDB), em vídeo divulgado nas redes sociais, quando o próprio prefeito afirma ter recebido a ligação da diretora da DRS-II (Departamento Regional de Saúde) de Araçatuba, Claudinéia Cecília da Silva, que o comunicou sobre a conquista.
Mesmo com esta informação, o prefeito de Penápolis Célio de Oliveira ainda acredita na possibilidade de segundo AME na região, uma vez que existe um acordo entre o governo e a prefeitura para a instalação do ambulatório na cidade.
A autorização da unidade médica para Araçatuba teria vindo do próprio governador do Estado, João Dória, do PSDB. “O AME Cirúrgico será para atender a população de Araçatuba e de toda a região. É um trabalho que foi construído e há muito era esperado pela nossa comunidade”, disse o prefeito Dilador em seu vídeo nas redes sociais.
Ainda de acordo com o que foi divulgado pelo prefeito de Araçatuba, a autorização diz respeito à construção de um novo prédio em um terreno ao lado do local onde hoje já funciona o AME Clínico na cidade.
A Secretaria de Estado da Saúde informou que ainda vem tratando com aquele município sobre a construção do AME e que o projeto, assim como os detalhes do local estão em desenvolvimento pela secretaria. 

“Disputa”
O clima de disputa entre os dois municípios teve início em fevereiro de 2017, quando Dilador Borges anunciou publicamente que entraria na disputa junto ao Governo do Estado pela instalação de uma unidade do Ambulatório Médico de Especialidades (AME) Cirúrgico naquela cidade. Na época, o anuncio havia sido feito por ele durante a realização de um encontro com diversos prefeitos da região para discutir a criação de uma associação regional de municípios. Na mesma época do anuncio feito por Araçatuba, Rubens Bertolini (SD) era o prefeito interino em Penápolis, pois Célio de Oliveira (sem partido) buscava, na Justiça, o direito de assumir a prefeitura depois de ter tido sua candidatura cassada. Célio já havia anunciado a conquista do AME para Penápolis. O então secretário de Saúde do município, Luiz Fink, classificou a ideia de Dilador como um “factóide político”.
Dez dias após o anuncio do tucano araçatubense, o então Governador Geraldo Alckmin (PSDB) visitou Buritama para o início dos trabalhos de ampliação da Hidrovia Tietê Paraná na hidrelétrica Nova Avanhandava. Ele foi questionado pela imprensa sobre o impasse e evitou entrar na discussão.
Em sua visita, Alckmin chegou ao aeroporto de Araçatuba para se dirigir ao município vizinho. Naquela oportunidade, ele foi solicitado pelo repórter de um site de notícias para responder algumas perguntas, e ao ser questionado sobre a instalação do AME em Araçatuba ou Penápolis, o governador respondeu que falaria somente sobre a hidrovia. A resposta de Alckmin surpreendeu aos presentes, pois era comum ele responder perguntas relacionadas a outros assuntos pertinentes à região. 
Já em março de 2017, o assunto ganhou novamente repercussão com a visita de Alckmin a Braúna. Sem apresentar opinião, Alckmin disse apenas que havia formado uma comissão de municípios e que a definição sobre o AME dependeria do que a Associação de Municípios escolhesse. Esta associação era formada por 43 município da região de Araçatuba. “Vamos aguardar a definição da Associação de modo que possa atender bem toda a região”, afirmou na ocasião.
Já em junho de 2017, apesar da afirmação feita pelo prefeito de Penápolis de que o AME Cirúrgico estava garantido para o município, o então governador Geraldo Alckmin voltou a afirmar, desta vez em visita ao próprio município de Penápolis, que a conquista ainda não era definitiva e que estudos precisariam ser feitos para sua implantação.

Conquista e expulsão
No fim de junho do ano passado, o então governador do estado, Márcio França (PSB) esteve em Penápolis e, finalmente anunciou a instalação do AME em Penápolis, chegando a assinar a autorização para o projeto.
Às vésperas do início da campanha eleitoral em que França tentaria sua reeleição, o prefeito Célio de Oliveira declarou seu apoio ao então governador, mesmo sendo do mesmo partido que Dória. Ao assumir seu apoio a França, Célio criticou o PSDB, e também João Dória. O fato gerou a expulsão de Célio do partido semanas depois. 
França manteve seu compromisso com Penápolis e deu prosseguimento à instalação do AME. O município chegou a alugar um prédio para receber o ambulatório e uma Organização Social (OS) havia sido contratada pelo Governo do Estado para gerir o AME. Até mesmo um repasse de R$ 6 milhões havia sido feito pelo estado à OS para o início dos trabalhos.

Revogação e nova expectativa
Logo nos seus primeiros dias de mandato, João Dória suspendeu os contratos firmados com Penápolis pelo governo anterior alegando reavaliação de contratos e depois o contrato com a OS foi revogado.
Apesar da revogação do contrato e a dúvida sobre a instalação do AME, o prefeito de Penápolis continuou as tratativas para a concretização da instalação do ambulatório na cidade.
Em maio deste ano, o vice-governador do estado, Rodrigo Garcia (DEM) esteve na região e afirmou que a instalação ainda se mantinha indefinida. O assunto voltou a ser destaque na visita do vice-governador depois que o prefeito de Araçatuba tomou a iniciativa, após o encerramento dos discursos de inauguração de uma rodovia em Birigui, de pegar o microfone e formalizar o pedido em público. Na oportunidade, Borges entregou a Garcia um documento que teria sido assinado por 90% dos prefeitos que compõem a região administrativa de Araçatuba em apoio à instalação do AME cirúrgico em Araçatuba.
Na ocasião, o prefeito Célio de Oliveira destacou que via com bons olhos as afirmações feitas por Garcia, acreditando que as duas cidades poderiam ser beneficiadas com o AME.
Foi justamente a expectativa de dois ambulatórios na região que a prefeitura voltou a destacar em nota envida ontem (19) após o anúncio feito por Dilador Borges. 
Na nota, a prefeitura afirmou que a instalação do AME em Araçatuba não afeta o compromisso do Governo do Estado de São Paulo com a cidade de Penápolis. “A implantação da unidade em Penápolis será incluída no orçamento do 
Governo em 2020, conforme compromisso assumido no dia 06 de fevereiro deste ano, durante reunião entre o prefeito Célio de Oliveira, o vice Carlos Feltrin e os 13 vereadores locais. A Prefeitura ainda ressalta que não existe uma “competição” entre os municípios, pois trata-se de uma unidade de saúde que beneficia toda a região”, afirmou a nota.
A expectativa ainda é a de que o orçamento do estado de São Paulo seja divulgado até o fim de setembro.

(Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.