Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis

SUA OPINIÃO

Você se preocupa em não compartilhar informações falsas sobre o Covid-19 em redes sociais na internet?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

29/08/2019

População: IBGE estima Penápolis com 63.407 habitantes em 2019

Imagem/Arquivo/DIÁRIO
Detalhes Not�cia
Estimativa do IBGE aponta Penápolis com população total de 63.407 habitantes; crescimento de 0,57% em relação ao ano passado

DA REPORTAGEM

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira (28) a estimativa populacional das cidades brasileiras para este ano de 2019. Segundo esta estimativa, a população de Penápolis hoje é de 63.407 pessoas, o que representa um crescimento de 0,57% em relação ao ano de 2018, que era de 63.047 munícipes. 
De acordo com o levantamento do IBGE, nos últimos 12 anos, o crescimento populacional em Penápolis foi de pouco mais de 11,8%. Em 2007, a estimativa populacional era de 56.681 pessoas. Em 2010, quando realizado o último senso, o número real habitacional levantado era de 58.510 pessoas. O IBGE ressalta que os números em relação a 2019 são somente estimativas, já que o senso, que dá maior precisão de números, é realizado a cada 10 anos, o próximo está previsto para 2020.

Comarca
Avanhandava foi o município que mais cresceu na estimativa do IBGE entre 2018 e 2019, passando de 13.433 para 13.649 pessoas, um crescimento de 1,67%. 
Alto Alegre foi a única cidade da comarca que teve sua estimativa populacional reduzida, caindo de 4.110 no ano passado para 4.099 neste ano, uma redução de 0,29%. Este é o terceiro ano consecutivo que a cidade tem queda populacional segundo estimativa do IBGE. Em 2017, a população estimada era de 4.157 pessoas.
Barbosa passou de 7.335 pessoas para 7.402 neste ano, um crescimento de 0,91%. Braúna teve um crescimento um pouco maior; de 5.630 em 2018, foi para 5.686 neste ano, uma diferença de 0,99%.
Glicério apresentou um crescimento bem modesto, passando de 4.801 para 4,815, ou 14 moradores a mais, o que representa crescimento de 0,29%, segundo o IBGE. Por fim, Luiziânia teve a segunda maior estimativa percentual de crescimento populacional. A cidade cresceu de 5.723 no ano passado para 5.790 moradores neste ano, 1,20%. 

Geral
Estima-se que o Brasil tenha 210,1 milhões de habitantes e uma taxa de crescimento populacional de 0,79% ao ano, apresentando queda do crescimento quando comparado ao período 2017/2018, conforme a Projeção da População 2018.
O município de São Paulo continua sendo o mais populoso do país, com 12,25 milhões de habitantes, seguido pelo Rio de Janeiro (6,72 milhões de habitantes), Brasília (3,0 milhões) e Salvador (2,9 milhões). Juntos, os 17 municípios brasileiros com população superior a um milhão de pessoas somam 46,1 milhões de habitantes ou 21,9% da população do Brasil.
Serra da Saudade (MG) é o município brasileiro com a menor população, 781 habitantes, seguido de Borá (SP), com 837 habitantes, e Araguainha (MT), com 935 habitantes.
No ranking dos estados, os três mais populosos estão na região Sudeste, enquanto os cinco menos populosos estão na região Norte. O maior deles é São Paulo, com 45,9 milhões de habitantes, concentrando 21,9% da população do país. Roraima é o estado menos populoso, com 605,8 mil habitantes (0,3% da população total).
As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União para o cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos. Esta divulgação anual obedece ao artigo 102 da Lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013.
As populações dos municípios foram estimadas por procedimento matemático e são o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos munícipios. O método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010) e ajustadas. As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais municipais ocorridas após 2010.

(Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.