Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis

SUA OPINIÃO

Você tem respeitado a quarentena e ficado em casa neste período de pandemia?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

18/10/2013

PM cumpre ordem e retira MST de fazenda em Barbosa

Rafael Machi
Detalhes Not�cia
Integrantes do MST negociam permanência no local junto à PM

DA REPORTAGEM

 

Uma grande operação foi montada pela Polícia Militar na manhã de ontem para realizar a reintegração de posse de uma fazenda ocupada pelo Movimento Sem Terra (MST) na cidade de Barbosa. Participaram cerca de 60 policiais da 2ª Companhia da PM de Penápolis e da Força Tática de Araçatuba. Os trabalhos foram comandados pelo capitão Luiz Antônio Flauzino. Negociações já vinham ocorrendo a quase dois meses na tentativa de que as famílias acampadas no local deixassem a área. A fazenda Corredeira, localizada na estrada municipal Prefeito Ubirajara Barbosa de Carvalho, possui quase 1,3 mil hectares e é ocupada por 170 pessoas de 42 famílias ligadas ao MST. Os integrantes do movimento alegam que a fazenda havia sido vendida há alguns anos, mas que não existem documentos que comprovem a existência do local. Desta forma, o antigo proprietário teria autorizado que os integrantes do MST ocupassem a área. A fazenda conta com atividades rurais, como o plantio de cana-de-açúcar e a realização de pecuária. Na semana passada uma ordem de desapropriação havia sido expedida pela Secretaria de Segurança Pública do Estado, sendo cumprida na manhã de ontem. Segundo a Polícia Militar, os integrantes do MST já haviam sido notificados quanto à saída assim que a decisão foi tomada pelo juiz da 1ª Vara do Fórum de Penápolis de que teriam que deixar a fazenda. Por conta disso, as famílias teriam apenas transferido seus barracos para a beira da estrada municipal, sendo dada nova ordem de saída das famílias da área próxima da fazenda. A Polícia Militar realizou no último mês um procedimento padrão para este tipo de situação, visando estudar a área ocupada e também o número de pessoas que estão assentadas no local. Os dados levantados foram encaminhados ao Batalhão da Polícia Militar de Araçatuba, onde foram feitas as estratégias de ação durante a reintegração de posse, como o número de policiais empenhados no trabalho. Este levantamento foi encaminhado para a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, onde foi autorizado o trabalho junto ao Oficial de Justiça. Também estiveram presentes representantes da Secretaria de Assistência Social e do Conselho Tutelar de Barbosa.

 

Operação

Todos os policiais envolvidos se concentraram por volta das 06h30 na sede da Companhia da PM de Penápolis, onde as últimas orientações foram repassadas. Por volta das 07h30 um grande comboio formado pelas viaturas se deslocou até o local do assentamento, chamando a atenção de populares por onde passava. Soldados do Corpo de Bombeiros de Penápolis também acompanharam o deslocamento. Assim que chegaram ao acampamento, os comandantes da operação foram ao encontro dos integrantes do movimento junto com o Oficial de Justiça para a entrega da notificação e a solicitação para que as famílias deixassem o local de forma ordeira. De imediato eles se recusaram a deixar o local, alegando que estavam em uma área pertencente à prefeitura, mas foram convencidos a deixar o local e por volta das 09h30 iniciaram à retirada dos móveis. Como parte do acordo, o proprietário da fazenda cedeu caminhões e funcionários para que os pertences das famílias fossem carregados. Ônibus também foram colocados à disposição dos integrantes do movimento para serem transportados até o assentamento de Promissão para onde foram encaminhados. Conforme os barracos eram desocupados uma retroescavadeira derrubava a armação feita pelas famílias. Até o início da tarde de ontem o trabalho estava sendo feito sem nenhum incidente. "Nosso objetivo, em primeiro lugar é o de garantir a integridade física das pessoas no local, além do proprietário das terras e dos próprios policiais envolvidos nos trabalhos. Temos a obrigação de cumprir o mandado expedido, mas preferimos conversar com os integrantes para que isso seja feito de forma pacífica, sem uso de força policial", comentou o 1º tenente da PM de Penápolis, Flávio Augusto Bachiega Zambrosi. Representantes do MST acampados na fazenda São José, em Penápolis, também estiveram no local auxiliando as negociações e na retirada das famílias acampadas em Babosa. (Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.