Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Residência pega fogo em Penápolis

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

24/03/2015

Penápolis perde o amigo Forféia, aos 60 anos

Imagem/Arquivo DIÁRIO
Detalhes Not�cia
Forféia lutava contra grave doença haviam 8 anos e morreu na manhã de ontem

DA REPORTAGEM

Faleceu na manhã de ontem, aos 60 anos de idade, o comerciante penapolense José Antônio Passari, popularmente conhecido como ‘Forféia’. Ele estava internado na Santa Casa de Penápolis por conta de sua debilidade em decorrência de uma grave doença a qual havia sido acometido a cerca de oito anos. Forféia estava internado há cerca de 10 dias. Com a doença, ele ficou cada vez mais debilitado, não resistindo e falecendo na manhã de ontem, por volta das 10h30.
Ele conquistou diversos amigos e admiradores por conta de seu carisma exposto aos amigos e clientes em seu restaurante, onde fazia questão de contar piadas e conversar com os fregueses, ouvido suas opiniões e sugestões. Por conta do respeito adquirido ao longo dos anos, a notícia de sua morte causou comoção nas redes sociais, com mensagens de despedidas e lembranças do amigo. Tal carinho, fez com que ele fosse indicado para receber o título de Filho Ilustre, indicado pelo Vereador Jonas do Povo (PROS). Forféia era grande amante do esporte local, com uma paixão diferenciada pelo Clube Atlético Penapolense, o qual fazia questão de ajudar, acompanhar e estar presente sempre que pôde. Tal amor pelo time de sua cidade gerou diversas homenagens a ele. Como forma de carinho, o presidente do Penapolense, Nilso Moreira, publicou nota no site oficial do time lamentando a morte do companheiro. “Sua paixão não se resumia apenas ao time de futebol, mas à nossa terra e tudo que fosse relacionado à cidade. Penápolis perde um verdadeiro penapolense”, lamentou o presidente.
Forféia nasceu em 02 de fevereiro de 1955. Ainda jovem começou a trabalhar no Grande Hotel, que pertencia a seu pai. Aos 21 anos foi para São Paulo trabalhar em uma indústria daquela cidade, retornando para Penápolis, de onde não saiu mais. Trabalhou em banco, mas saiu para não ter que mudar de cidade.  Forféia montou sua primeira lanchonete em 1988, que se transformou, mais tarde, em uma referência em toda a região. Seu corpo está sendo velado no Bom Pastor memorial desde o início da tarde de ontem e o sepultamento está previsto para ocorrer às 09h00 desta terça-feira (24). Forféia deixa a esposa, Sueli Bellinelli, e as filhas Verônica e Angélica, e demais parentes e amigos.

(Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2021 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade