Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Residência pega fogo em Penápolis

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

09/03/2021

Outra alta: Petrobras aumenta preços da gasolina e do diesel nas refinarias

Imagem/Divulgação
Detalhes Not�cia
No início da segunda quinzena de fevereiro, a gasolina era encontrada na cidade a R$ 4,77

DA REDAÇÃO

A Petrobras anunciou ontem (08) um novo aumento dos preços da gasolina e do diesel que são cobrados em suas refinarias. No caso da gasolina, o aumento é o sexto do ano, e o preço médio do litro passará de R$ 2,60 para R$ 2,84, em uma alta de cerca de 9,2%.
Para o litro do diesel, o reajuste anunciado é de R$ 2,71 para R$ 2,86, um encarecimento de cerca de 5,5%. No caso desse combustível, o aumento é o quinto no ano.
O último reajuste havia sido anunciado pela Petrobras em 1° de março e, antes disso, houve aumentos em 18 de fevereiro, 8 de fevereiro, 26 de janeiro e 18 de janeiro, dia em que apenas o preço da gasolina foi reajustado. No fim do ano passado, o litro de combustível custava R$ 1,84 nas refinarias, R$ 1 a menos que o preço alcançado hoje.

Política de preços
A política de preços da Petrobras busca o alinhamento do preço das refinarias aos do mercado internacional, o que também torna o preço sensível ao valor do real perante o dólar, moeda em que as negociações ocorrem no exterior.
Segundo a estatal, manter esse alinhamento é fundamental para garantir que o mercado brasileiro seja suprido sem risco de desabastecimento. A empresa afirma que, assim como o preço sobe quando há encarecimento no mercado internacional, ele também cai quando a alta da oferta no mundo desvaloriza esses combustíveis.
A Petrobras destaca ainda que essas variações do mercado internacional e do câmbio “têm influência limitada” no preço final que os consumidores encontram nos postos de combustíveis. “Até chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis, além das margens brutas das companhias distribuidoras e dos postos revendedores de combustíveis”.

Penápolis
Na semana passada, o DIÁRIO já havia mostrado que, com o impulso de reajustes realizados pela Petrobras nas refinarias do país, que têm como referência preços internacionais do petróleo, além do câmbio, fez com que o preço médio da gasolina vendido em Penápolis chegasse a R$ 5,26, na última quinta-feira (04). Já a entressafra nas usinas de cana-de-açúcar fez com que o etanol chegasse a ser vendido com preço médio de R$ 3,96 em Penápolis. Estes são os maiores preços comercializados dos combustíveis na cidade.
Segundo o levantamento de preços realizado pela reportagem do DIÁRIO na semana passada, o combustível derivado do petróleo vendido com o menor preço nos postos penapolenses era de R$ 5,24. Entretanto, este valor pode chegar a R$ 5,29 em outros postos. No início da segunda quinzena de fevereiro, a gasolina era encontrada na cidade a R$ 4,77, o que significa que em 15 dias o combustível teve alta média de 10%.

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2022 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade