Classificados

VÍDEOS

Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

SUA OPINIÃO

Você tem respeitado a quarentena e ficado em casa neste período de pandemia?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

02/11/2011

OPORTUNIDADE: Crianças aproveitam o feriado para pedir dinheiro

DA REPORTAGEM

Durante o feriado do dia de Finados, os cemitérios de Penápolis ficam cheios de pessoas que vão ao local para visitar os túmulos de seus entes queridos. Durante todo o dia a Necrópole Santa Cruz – principal cemitério da cidade – deverá receber mais de 15 mil pessoas, além de outras centenas que já foram alguns dias antes, procurando mais tranquilidade durante a visita. Em decorrência do grande numero de visitantes, as ruas nos arredores ficam lotadas de veículos estacionados, chamando a atenção de muitas crianças que se arriscam em meio aos carros, pedindo dinheiro e vendendo balas e velas. Na tarde de ontem, a reportagem do Diário foi até o cemitério mais movimentado da cidade, e constatou que no local existem, de fato, várias crianças vendendo velas e se oferecendo para cuidar dos veículos em troca de algum dinheiro. Ao estacionar próximo ao local, um garoto de apenas 10 anos se aproximou pedindo para cuidar do carro. Ao ser questionado sobre o valor cobrado, ele informou que poderia dar o que quisesse. Outras crianças, aparentando ser de idades diferentes, também se aproximaram vendendo velas e pedindo dinheiro. O primeiro garoto que abordara o veículo insistiu para guardá-lo, enquanto o repórter fosse ao cemitério, mas sabendo que se tratava de uma matéria para o jornal, ele topou em falar e revelou que mora perto do cemitério e que estava ali tentando conseguir algum dinheiro para ajudar no sustento da casa. “Tenho mais dois irmãos, um de seis e outro de 17 anos, moramos todos com minha mãe, e tenho que ajudar no sustento”, disse. Ele informou que ontem havia faltado à aula – estuda na escola Adelino Peters - para poder trabalhar. Questionado sobre o fato de alguns riscarem carros quando seus donos não aceitam ajudá-los ele respondeu que não faz isso, mas que outros já realizaram este ato. “Tem alguns que riscam quando a pessoa não dá dinheiro, nem sempre isso acontece, quando o garoto não gosta do jeito da pessoa que recusou a ajuda, aí eles fazem alguma maldade e saem de perto”, confirmou. Desconfiado da conversa com o repórter, o menino saiu se juntou aos outros que estavam próximos, e saíram do local.

Conselho Tutelar
O representante do Conselho Tutelar de Penápolis, João dos Santos, o Jaó, informou que conselheiros estarão realizando trabalho de fiscalização próximo ao cemitério para evitar atos de danos ao patrimônio das pessoas. Ele alerta que é importante que a pessoa não dê dinheiro para a criança. “Quando alguém realiza a doação, pode estar incentivando a criança a continuar pedindo, financiando algo até ilícito”, alertou. Jaó explica que se alguém for vítima de danos no veículo ou até mesmo de algum furto, é importante acionar a Polícia Militar para que seja feita a ocorrência, desde que seja um ato infracional, a partir daí é que o Conselho Tutelar deve agir com o menor infrator. (Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.