Classificados

VÍDEOS

Morre o cantor sertanejo Davi, da dupla com Durval
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

SUA OPINIÃO

Você concorda com a aplicação de multa de R$ 500 para quem não estiver usando máscaras em locais com circulação de pessoas?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

24/03/2019

Menor que fez apologia ao crime vai para Fundação Casa

Imagem/Rafael Machi
Detalhes Not�cia
Réplica de fuzil, canivete, socos ingleses e lâmina de facão foram encontrados na residência do adolescente

DA REPORTAGEM

A Justiça de Penápolis determinou que o adolescente de 14 anos que pregou a apologia ao crime nesta semana na cidade, fosse recolhido à Fundação Casa pelo período de 45 dias. A decisão partiu do juiz Heber Gualberto Mendonça, que levou em consideração o histórico do menor e também seu comportamento. Ele teve seu caso repercutido na região depois que postou fotos nas redes sociais segurando a réplica de um fuzil e um facão. Além disso, ele postou fotos fazendo apologia ao massacre ocorrido em uma escola na cidade de Suzano (SP) no dia 13 de março. Na casa dele, além da réplica do fuzil, policiais militares encontraram socos ingleses, um canivete e a lâmina de um facão.
Apesar de correr em segredo de justiça, a reportagem do DIÁRIO teve acesso à decisão proferida pelo juiz. Nela, o magistrado determina que a custódia do menor seja feita até que se conclua a instrução probatória, para manutenção da ordem pública que se acha perturbada.
Para a decisão, o juiz levou em consideração o fato do menor já ter tido problemas em outra escola da cidade por conta de ações praticadas por ele. Em agosto do ano passado ele teria explodido uma bomba de artifício dentro de uma sala de aula.
Além disso, o juiz levou em consideração as imagens divulgadas pelo menor e também mensagens encontradas em seu telefone celular em que afirma gostar que as pessoas tenham medo dele.
Para o juiz, “a medida é protetiva ao próprio menor, considerando que na casa do representado foram encontrados manuscritos suicidas, de maneira que a internação também tem por escopo a sua própria proteção, bem como eventual possibilidade de sua ressocialização”, afirmou na decisão. 

Caso
Segundo o apurado, toda a confusão teria se iniciado depois que o menor postou fotos em redes sociais fazendo apologia ao crime. A reportagem teve acesso a estas imagens. Além de ostentar o porte de um fuzil, o menor fazia relação ao ataque a uma escola na cidade de Suzano, em São Paulo. Em uma das imagens postadas por ele em suas redes sociais, ele colocou a foto dos assassinos de Suzano mortos no chão e escreveu a seguinte legenda: “Bye bye vou dormi até amanhã pra quem for na escola”. Já em outra imagem, o menor aparece usando uma máscara bastante parecida com as usadas pelos autores do massacre em Suzano, além de estar segurando uma lâmina de facão e a réplica do fuzil. 
As publicações teriam sido vistas pelos próprios alunos da escola estadual onde o menor frequenta, que comunicaram a direção da unidade alegando insegurança.
Diante do ocorrido, a direção da escola acionou a mãe do estudante para apurar o que estava acontecendo. A Polícia Militar e o Conselho Tutelar também foram acionados na escola para acompanharem o caso.
Com o menino nada de ilícito foi encontrado, entretanto, diante da suspeita, os policiais foram até a casa do estudante para averiguação, oportunidade em que encontraram no local a réplica do fuzil, dois socos ingleses, a lâmina de um facão e um canivete. 
Diante dos fatos o menor foi encaminhado ao 1º Distrito Policial para prestar mais esclarecimento. Todo o material encontrado foi apreendido para averiguação e o menor liberado após ser ouvido.

(Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.