Classificados

VÍDEOS

Residência pega fogo em Penápolis
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

21/01/2021

Médico que morreu por Covid fez matrícula em especialização enquanto estava internado

Imagem/Arquivo Pessoal
Detalhes Not�cia
Gillian Vitor Reis, que se formou em Votuporanga, trabalhava na linha de frente de combate à doença e ficou internado por 25 dias

O médico Gillian Vitor Reis, de 28 anos, que morreu por Covid-19 depois de ficar quase um mês internado em um hospital de São José do Rio Preto, tinha o sonho de se especializar em endocrinologia, conta a irmã, Giovana Reis.
À reportagem, Giovana contou que, antes do irmão precisar ser entubado na UTI, ele se matriculou em um curso de especialização. “Quando o meu irmão estava internado no quarto do hospital, ele me mandou uma mensagem dizendo que tinha feito a inscrição para começar a se especializar em endocrinologia. Ele já tinha até pago a matrícula”, disse.
Gillian formou-se em medicina em 2018. Ele fez o curso em Votuporanga, cidade a 129km de Penápolis. A irmã conta que ele trabalhou em diversas cidades da região noroeste paulista, como Sud Menucci, Auriflama, Murutinga do Sul e Pereira Barreto. Depois de atuar no interior, o médico se mudou para Salvador, capital baiana, em outubro de 2019.
“Desde o início da pandemia o Gillian trabalhava na UTI de pacientes com Covid. O meu irmão falava todos os dias comigo e com a nossa mãe, explicava sobre os procedimentos e dizia pra gente tomar cuidado com a doença. No começo, a família não queria que ele atuasse na linha de frente, mas ele fazia questão de trabalhar na UTI”, conta.
No dia 13 de dezembro, o médico passou alguns dias com a família, em Bandeirantes d’Oeste, distrito de Sud Menucci (173km de Penápolis), onde a família mora.
Giovana contou que cinco dias depois, no dia 18, ele fez uma tomografia após sentir muita falta de ar. “Foi um susto para todos, pois os pulmões dele estavam 75% comprometidos”, diz Giovana. Logo depois dos exames, o rapaz precisou ser internado.
Gillian chegou a ficar internado por 25 dias no hospital, mas não resistiu às complicações nos pulmões e morreu no dia 15 de janeiro. O corpo dele foi enterrado na cidade e chocou familiares e amigos.
“Estamos muito abalados com a perda. Ele lutou até o final. Ainda estamos sem acreditar em tudo o que aconteceu”, desabafou a irmã.

(Com SBT Interior)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2022 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade