Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Residência pega fogo em Penápolis

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

26/09/2021

Maiores prefeituras da região destinaram R$ 38,4 milhões no combate à Covid-19

Imagem/Divulgação
Detalhes Not�cia
Prefeitura de Birigui foi a que mais investiu

DA REDAÇÃO

Levantamento realizado pela reportagem a partir de dados do TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) revela que, em 2021, as seis maiores cidades da região de Araçatuba já destinados R$ 38,4 bilhões no combate à pandemia.
As informações, relativas aos recursos públicos empregados até 31 de agosto, estão disponíveis na última atualização do “Painel de Gestão de Enfrentamento da Covid-19” do Tribunal. O maior investimento entre as cidades da região foi feito por Birigui, que empenhou R$ 12,96 milhões neste ano para cobrir as despesas ligadas à pandemia. Esta verba totaliza, segundo o TCESP, 4,73% da receita da prefeitura local para este ano. Do total de doentes em Birigui, 73,26% foram curados.
Em seguida, Araçatuba já gastou R$ 12,41 milhões entre janeiro e agosto para tratar os infectados pelo novo coronavírus. As despesas com a doença representam 2,69% da receita do município. A cidade atingiu uma média de 93,71% dos casos recuperados.
A Prefeitura de Penápolis fez o investimento de 4,08% de sua receita para tratar dos doentes de Covid-19. Isso representa R$ 6,23 milhões. O índice de casos recuperados na cidade é de 76,04%. A cidade de Andradina tem um índice de recuperação de doentes de 96,42%. Para atingir esta meta, a administração local investiu R$ 4,17 milhões nos oito primeiro do ano. As despesas significam 2,96% da receita do orçamento local.
O total investido por Guararapes foi, até o dia 31 de agosto, de R$ 1,84 milhão para atingir conseguir 99,05% de cura dos casos de contaminação. Este valor é proporcional a 2,3% da arrecadação.
A administração pública de Valparaíso gastou, neste período, R$ 793,32 mil, com um índice de cura de 97,29% dos infectados. Com isso, a prefeitura empenhou 1,27% de tudo o que arrecadou.
O TCE-SP publicou nesta semana os dados atualizados relativos às despesas de todos os municípios e o Estado, com exceção da capital. De acordo com o levantamento, já foram destinados R$ 6,91 bilhões no combate à pandemia nas 644 cidades de São Paulo.
De acordo com os dados, entre janeiro e agosto deste ano, o Governo do Estado de São Paulo teve uma despesa em ações de combate ao novo coronavírus de R$ 2,94 bilhões, enquanto 639 municípios destinaram R$ 3,97 bilhões.

Educação
No mês de agosto, a pandemia afetou as aulas em mais da metade dos municípios paulistas. No período, 641 cidades tiveram casos confirmados de COVID-19 e 355 Prefeituras (55,2%) decidiram paralisar total ou parcialmente as atividades presenciais. As aulas foram totalmente suspensas em 124 cidades (19,3%) e interrompidas parcialmente em 231 municípios (35,9%).
O restante (288) informou ao TCESP que não paralisou os trabalhos presenciais na rede municipal. Anhembi não respondeu aos questionamentos sobre o assunto. A fim de diminuir os impactos da pandemia, quase a totalidade das Administrações (99,5%) disse que a Secretaria Municipal de Educação tomou medidas educacionais de emergência.
Para tanto, 643 municípios adotaram medidas alternativas para substituir as aulas presenciais – tais como atividades on-line ou por canal de TV e distribuição de material impresso – e 547 (85%) afirmaram ter distribuído merenda escolar aos estudantes durante os períodos de suspensão total ou parcial das aulas presenciais. As ações, que visam diminuir as consequências negativas na aprendizagem, somam mais de R$ 441 milhões aos cofres dos municípios paulistas.

(Com informações da Folha da Região)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2022 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade