Classificados

VÍDEOS

Penápolis no programa Cidade contra Cidade do SBT em 1989
Residência pega fogo em Penápolis

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

03/09/2022

Horário eleitoral gratuito vai até 29 de setembro

DA REDAÇÃO

O horário eleitoral gratuito para rádio e TV do primeiro turno das eleições começou na sexta-feira (26). As propagandas voltadas ao período eleitoral vão fazer parte da grade televisiva e das emissoras de rádio até o dia 29 de setembro, data que marca o encerramento do período de campanhas para o primeiro turno. O Plano de Mídia das Eleições 2022 definiu a ordem e o tempo de veiculação das propagandas eleitorais de partidos e coligações. A ordem para o primeiro dia de exibição foi definida por sorteio.  
Pela regra, a propaganda do partido político, da federação ou da coligação que foi veiculada por último será a primeira a ser apresentada no dia seguinte. Com o início do horário eleitoral, os materiais em rádio e tv complementam as campanhas, já iniciadas em 16 de agosto na internet e encontros públicos. A cientista política e especialista em Assessoria, Governo e Políticas Públicas pela Universidade de Brasília, Larissa Jales, explica que mesmo com a força das campanhas eleitorais em redes sociais, esse fato não substitui o papel das campanhas em rádio e TV devido aos fatores socioestruturais.
“Apenas 61% das classes D e E têm acesso à internet, segundo a pesquisa TIC domicílios, e hoje no Brasil, 258 milhões são usuários de telefonia celular, mas 46,3% desses usuários são pré-pagos. Isso resulta em uma indisponibilidade de alguns eleitores utilizarem as redes sociais”. 
De acordo com o pesquisador e professor da Universidade de Brasília Fernando Oliveira Paulino, as campanhas em rádio e TV permanecem sendo “um instrumento de promoção da democracia e de um mínimo de equidade para que as correntes ideológicas, os pensamentos sejam representados, e as pessoas tenham a partir disso mais condições de escolherem seus candidatos”, considera.

(Com A/I TRE-SP)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2024 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade