Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Morre o cantor sertanejo Davi, da dupla com Durval

SUA OPINIÃO

Entre aqueles, que até esta segunda-feira (13), se declararam pré-candidatos a prefeito de Penápolis, em quem você votaria nestas eleições?





CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

08/08/2010

Em um ano, três vítimas de latrocínios

DA REPORTAGEM

Em apenas um ano a cidade registrou três crimes bárbaros de latrocínio (roubo seguido de morte), o último aconteceu na quarta-feira, 04, quando foi brutalmente assassinada a professora aposentada e conselheira tutelar, Rosângela Moretti Morangueira, a “Chuchu”, como era carinhosamente conhecida. Os números poderiam ser ainda maiores, mas outras vítimas felizmente sobreviveram.  A série de latrocínios iniciou no dia 06 de agosto de 2009, quando foi morto com um único disparo de arma de fogo o microempresário Gerson Martos Paliotta, 43 anos, conhecido por “Alemão”. Através de investigações o delegado Mauro Gabriel concluiu que o crime foi praticado por três bandidos, que foram identificados e presos. Neste caso, apesar dos policiais acreditarem que Alemão foi vítima de uma tentativa de assalto, o acusado afirmou que mantinha uma desavença com o microempresário. Na época os policiais salientaram que esta tentativa de descaracterizar o crime teria por finalidade impor uma pena mais branda ao acusado. O crime ocorreu na Vila Tóquio. Por volta dás 19h11, Gerson havia recebido, recebido uma ligação para entregar um botijão de gás na avenida Lions,quando foi abordado e baleado. Ele foi socorrido na Santa Casa de Misericórdia, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. 

Costureira
Outro crime que abalou a cidade, aconteceu no dia 13 de setembro de 2009, quando a costureira Odeti Bento Soares Galindo, 41 anos, que residia na rua Tibúrcio Ferreira Mendes, na Vila Cidade Jardim, também foi assassinada por um disparo de arma de fogo. O projétil que provavelmente foi efetuado a queima-roupa, atingiu a cabeça da vítima. O crime ocorreu por volta das 21h00 na avenida Mato Grosso, local onde funciona uma garagem de ônibus. Vários passageiros aguardavam no local o momento para embarcarem com destino à cidade de São Paulo, quando repentinamente surgiram três bandidos, dois deles encapuzados. De acordo com as informações passadas na época para os policiais, dentre as pessoas presentes estava um policial civil que havia ido até a empresa para visitar o proprietário. Quando Odeti estacionava o carro as pessoas que estavam com ela perceberam que os desconhecidos provavelmente cometeriam um assalto, enquanto uma desceu e correu em direção ao policial pedindo ajuda, Odeti tentou arrancar o veículo, mas sob a mira de um revólver foi obrigada a parar. Houve troca de tiros entre o policial e um dos bandidos que efetuou um disparo a curta distância atingiu a vítima e foi fatal. Os ladrões fugiram sem nada levar. Ferida na cabeça a costureira chegou a ser socorrida pelo Resgate do Corpo de Bombeiros e encaminhada ao Pronto-Socorro, local onde faleceu. Até o fechamento desta edição, a Polícia ainda não havia prendido os assassinos de Chuchu. (SRF)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.