Classificados

VÍDEOS

Morre o cantor sertanejo Davi, da dupla com Durval
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

SUA OPINIÃO

Entre aqueles, que até esta segunda-feira (13), se declararam pré-candidatos a prefeito de Penápolis, em quem você votaria nestas eleições?





CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

14/02/2009

Campanha contra aids alerta mulheres com mais de 50

O Ministério da Saúde e a Secretaria Especial de Política para as Mulheres lançaram ontem, 13, a campanha de prevenção à aids do Carnaval 2009. Com o slogan “Sexo não tem idade para acabar. Proteção também não”, a ação deste ano é voltada para a prevenção da doença em mulheres acima dos 50 anos. Dados parciais de pesquisa de comportamento realizada pelo Ministério da Saúde, em 2008, apontam que 72% das brasileiras nessa faixa etária não usam camisinha com parceiros casuais. A infecção pelo HIV triplicou nos últimos 10 anos nessa população. “O objetivo dessa campanha é chamar a atenção para o problema e informar adequadamente as mulheres da importância delas falarem e conversarem com seus companheiros, maridos, namorados sobre o relacionamento sexual e exigirem o uso de preservativo, a camisinha”, afirmou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Para ele, o homem também tem que estar consciente de que ao usar o preservativo estará protegendo a si e “a pessoa que ele gosta, que ele ama”.
O lançamento aconteceu na Cidade do Samba, no Rio de Janeiro. Estiveram presentes mulheres de comunidades carentes da cidade e artistas, que formaram uma roda de samba totalmente feminina. Temporão e Nilcéa Freire, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, fizeram a apresentação dos dados e das peças da campanha. Entre mulheres acima de 50 anos a taxa de incidência da aids mais que triplicou em dez anos. Em 1996 havia de 3,7 casos por 100 mil habitantes; em 2006, o índice já era 11,6.  A pesquisa de comportamento do Ministério da Saúde revela que mais da metade das mulheres nessa faixa etária (55,3%) é sexualmente ativa. O problema é na hora de se prevenir. Enquanto o uso regular de camisinha nas relações casuais no grupo de 15 a 49 anos (homens e mulheres) fica em 47,5%; esse índice é de apenas 34,8%, quando ultrapassado os 50 anos. No recorte por sexo, mostra-se que o público feminino está em situação mais vulnerável. Só 28% dessa população adota a prevenção. Entre os homens, o número sobe para 36,9% - eles foram alvo da campanha de 2008, no Dia Mundial de Prevenção à Aids. “É preciso conscientizá-las que, não usar a camisinha, é um comportamento de risco, como para qualquer parcela da população”, afirmou Temporão. De acordo com a diretora do Programa Nacional de DST e Aids, Mariângela Simão, a campanha trabalha para ampliar o direito das mulheres à saúde. “Sabemos de suas dificuldades para negociar o uso do preservativo com os parceiros. Com essa ação, queremos fortalecê-las para que possam ter condições de exercer a sexualidade de forma mais segura”, ressalta. A ministra ministra Nilcéa Freire, da Secretaria Especial de Política para as Mulheres, ressaltou que é importante acabar com o estereótipo de que as mulheres com mais de 50 anos não têm vida sexual ativa. “Por essa razão, o foco da campanha de carnaval deste ano está voltado para as mulheres maduras. É preciso cada vez mais incentivar as mulheres a exigir do parceiro o uso de preservativo”, disse. (A/I Secretaria de Estado da Saúde)
VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.