Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Morre o cantor sertanejo Davi, da dupla com Durval

SUA OPINIÃO

Você concorda com a aplicação de multa de R$ 500 para quem não estiver usando máscaras em locais com circulação de pessoas?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

08/01/2009

Autor de homicídio se apresenta e confessa o crime

Detalhes Not�cia

O autor confesso pela morte de Eduardo Aparecido Sampaio Santos, o “Duda”, morto aos 26 anos no último domingo, se apresentou ontem acompanhado do advogado Pedro José Mendes Rodrigues, ao delegado Nivaldo Martins Coelho, e contou detalhes do crime. Trata-se de Wellington José da Silva, 27 anos, conhecido por “Eltinho”, residente no Jardim Eldorado, em Penápolis. O homicídio, o primeiro deste ano, ocorreu no Jardim Canadá e, para concretizar o crime, Eltinho efetuou um único disparo que atingiu o tórax de seu oponente. O homicida revelou que Duda teria sido o autor de um homicídio ocorrido há cerca de dois anos em Penápolis, onde a vítima seria um adolescente, amigo seu. Em razão deste crime, Eltinho teria deixado claro que não havia aprovado a ação de Duda e este, por sua vez, teria ficado irritado com a posição de Eltinho, surgindo uma rixa entre ambos. Segundo Eltinho, Duda passou a fazer ameaças.
No dia do crime, ao terem se encontrado próximo a um bar no Jardim Canadá, a vítima passou a xingá-lo. No auge da discussão, Duda, segundo declarou o autor, teria feito menção de que sacaria uma arma. Como mantinha uma pistola na cintura, sacou e efetuou um único disparo que atingiu o tórax de seu oponente. Em seguida fugiu correndo em direção ao Kartódromo e, ao ver uma viatura, se refugiou em um canavial nas proximidades. Neste local ele afirma ter dispensado a arma. Ontem à tarde os policiais vasculharam a área na tentativa de encontrar a arma, mas as buscas foram em vão. Hoje deverá ser realizada uma busca mais detalhada. Apesar da versão apresentada pelo autor, o delegado disse não estar convencido da veracidade, não sendo descartada a hipótese do crime ter ocorrido em razão de tráfico de entorpecentes. Até então Eltinho não havia sido preso, mas, com a decretação da prisão temporária representada pelo delegado, ele deverá permanecer nesta condição por um período mínimo de 30 dias. (SRF)

Foto: Policiais, com orientação de Eltinho, tentaram em vão localizar a arma do crime

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.