Classificados

VÍDEOS

Penápolis no programa Cidade contra Cidade do SBT em 1989
Residência pega fogo em Penápolis

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

22/09/2012

Após período de seca, chuva chega e causa prejuízos

Rafael Machi
Detalhes Not�cia
Jeferson mostra o escorpião capturado em sua casa após o imóvel ter sido invadido por enxurrada durante a chuva de ontem

DA REPORTAGEM

 

Após um período de mais de dois meses sem chuvas em toda a região, Penápolis voltou a ter as tradicionais ‘trombas d’água’ que caem por um curto espaço de tempo, mas com forte intensidade. É o que ocorreu no início da tarde de ontem quando a forte chuva que caiu na cidade causou transtornos para motoristas e pedestres, e prejuízos para alguns moradores. Segundo o DAEP (Departamento de Água e Esgoto de Penápolis) somente ontem havia chovido cerca de 60 milímetros, mais que o triplo previsto para ontem, que era de 18 milímetros. Com isso, diversas ruas foram tomadas pelas águas e os motoristas tiveram que redobrar os cuidados ao transitar pelas vias públicas das 12h00 às 13h30, período em que as enxurradas estavam com grande intensidade. Na avenida Leandro Ratisbona de Medeiros as águas tomaram ruas e calçadas, obrigando os funcionários de uma loja de materiais para construção trabalharem rapidamente para impedir que a água invadisse o local. No córrego Santa Leonor, os encanamentos instalados na represa para a vazão de água quase não suportou o grande volume, as águas chegaram bem próximas das árvores plantadas nas margens do córrego. No Maria Chica o volume de água foi suportável, mas a força da correnteza chamou a atenção das pessoas que passavam pelo local. O aguaceiro causou transtornos para um morador da avenida Adolfo Hecht, no centro da cidade. O trabalhador rural Jeferson Sato de Almeida, 23 anos, levou um grande susto durante a chuva quando viu sua casa ser invadida pelas águas. Ele disse que estava dormindo, por volta das 12h00, quando acordou com o forte barulho da chuva, e ao levantar resolveu abrir a porta, momento em que o imóvel foi tomado pela água que vinha da rua. Como a casa fica abaixo do nível da rua, os bueiros próximos não conseguiram escoar toda a água, fazendo com que parte dela invadisse sua residência. No quintal a água chegou a um metro e 20 centímetros. "Não podia fazer nada, os móveis já estavam sendo levantados pela água, tentei salvar o que podia", comentou. Jeferson perdeu diversos móveis como cama, sofá, armários, fogão, geladeira, entre outros. "Não sei o que fazer; vou ter que limpar tudo e ver o que consigo recuperar, mas estou com medo, pois tenho que trabalhar a noite, e pode haver outra chuva como essa e a água invadir novamente minha casa", disse. Após baixar o nível da água foi possível ver a quantidade de sujeira vinda da rua, até um escorpião o jovem capturou. "Estou aqui há dois meses e quero mudar novamente para não passar por este problema, vou pedir ajuda para algumas pessoas e torcer para que tudo dê certo", finalizou. (Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2024 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade