Classificados

VÍDEOS

Residência pega fogo em Penápolis
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

25/04/2015

Acusado de tentar matar soldador é ouvido pela polícia

DA REPORTAGEM

A Polícia Civil de Penápolis instaurou inquérito para investigar a suposta tentativa de homicídio ocorrida na noite de terça-feira (21) no centro da cidade, onde um soldador de 31 anos foi abordado por dois indivíduos em uma motocicleta, momento em que o garupa teria tentado efetuar os disparos contra ele. O autor que se feriu na ação ao ser atingido acidentalmente por um tiro, foi identificado e detido pela Polícia Militar quando tentava embarcar em um ônibus no Terminal Rodoviário na última quarta-feira (22), tendo sido ouvido pelo delegado responsável, Heweraldo Weber Gonçalves, e liberado. Os dados dele não foram divulgados, mas segundo o delegado, sua versão é diferente do que havia sido apresentado pela vítima no dia do crime. O crime teria sido motivado por conta de uma antiga dívida com drogas. O autor revelou que já foi preso por tráfico e assumiu a posse da droga, entretanto, passou a receber cobranças do traficante dono do entorpecente, sendo que algumas destas cobranças teriam sido feitas pelo soldador que alegou ter sofrido o atentado.

Defesa
Segundo a versão do autor, por conta destas cobranças e ameaças que teria recebido, procurou um primo para que este lhe comprasse uma arma, alegando se tratar de um revólver e não uma pistola como consta na denúncia. “Sobre o dia dos fatos, o rapaz revelou que andava com seu primo em uma motocicleta quando avistaram o soldador, que teria lhe cobrado a dívida. Diante disso, ele  disse para o primo que queria apenas conversar, e ambos foram ao seu encontro”, disse o delegado. Assim que abordou a vítima, o autor teria iniciado uma discussão e em determinado momento teria efetuado dois disparos para cima, negado a acusação de que teria apontado a arma para o soldador e tentado efetuar os disparos. “Ele revelou que quando efetuou os disparos para cima, correu para a moto com a arma na cintura, sendo que esta disparou acidentalmente contra ele, causando ferimento leve. Foi feito, inclusive, pedido de exame de corpo de delito sobre o fato”, disse o delegado. Um inquérito já foi instaurado para que o caso seja investigado. Os dois envolvidos já foram ouvidos, enquanto que o primo do acusado foi interrogado sobre o fato de ter comprado a arma e repassado ao acusado, respondendo pelo crime. “Vamos continuar investigando as versões apresentadas e juntar tudo ao inquérito para esclarecer a situação o mais rápido possível”, afirmou Gonçalves. 

A acusação
O soldador disse em relação ao fato que trafegava com sua motocicleta pela rua Anchieta, no centro da cidade, por volta das 21h00, quando teria sido abordado por uma dupla que também estava em uma motocicleta. Na ação, o garupa teria sacado uma pistola e apontado para a vítima diante de ameaças, ordenando que ele parasse a moto e descesse, assim ele acabou sendo agredido pelo bandido com chutes e coronhadas, caindo ao chão durante a agressão. O criminoso teria apontado a arma para a vítima e disparado, mas ela falhou. Assustado o soldador aproveitou e saiu correndo, entrando em uma farmácia próxima do local. Enquanto fugia, o acusado teria efetuado outro disparo que não atingiu a vítima. O autor montou na moto e fugiu com o comparsa, tomando rumo desconhecido.

(Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2021 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade