Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis

SUA OPINIÃO

Você tem respeitado a quarentena e ficado em casa neste período de pandemia?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

CIDADE & REGIÃO

06/06/2017

Acusado de matar a ex usa o Facebook e fala do crime

DA REPORTAGEM

O soldador de 25 anos acusado de matar sua ex-companheira, Gabriela Rosa da Silva, de 22 anos, na última quinta-feira (01) com golpes de faca, em Avanhandava, usou sua página social no Facebook para se manifestar sobre o crime cometido durante o fim de semana. Ele, que já é considerado foragido da polícia, fugiu levando o filho do casal, de três anos e que teria presenciado o crime, entretanto, de acordo com o que foi apurado, na tarde desta segunda-feira (05), a criança estaria em um abrigo para menores na cidade de Tupã.
No Facebook, ele reconheceu o crime cometido e disse que não debateria com a sociedade, pois sabia que estava errado. Diante disso, ele passou a receber diversas críticas de internautas que acompanharam suas publicações. Diversas pessoas o chamavam de covarde a assassino, alegando ainda que ele, deveria se entregar para pagar pelo crime. Em outra publicação, também feita na página social, logo no dia seguinte ao crime, ele postou uma frase pedindo para que seu filho possa lhe perdoar um dia e afirmou que volta em vinte anos, mas não deixou claro se pretende permanecer foragido ou se entregar para a polícia. Novamente ele passou a ser criticado por diversas pessoas que acompanharam a postagem. Alguns destes internautas pediam que ele entregasse o filho, para que não permanecesse desaparecido junto com ele. 
No domingo (04), ele voltou a usar sua página no Facebook. Desta vez ele publicou um pequeno texto. Nele, o soldador afirmava que sabia que as pessoas o achavam um monstro e acrescentou que se “tivesse sido uma traição eu perdoaria e poderíamos ainda estar juntos”. Na mesma frase ele afirmou sentir muito pelo ocorrido, ressaltando que ainda a ama muito. “Fiquei com medo de nunca mais a tê-la, com medo de ir preso um dia e ela ficar livre com outro aqui fora, sabe”, escreveu.
Apesar do “arrependimento”, ele voltou a proferir ameaças, dizendo que “mataria vários para tê-la de volta” e que se tirassem seu filho de sua família “seriam dois a menos na família dela”. Por fim, ele questionou o porquê sua ex-companheira foi “dar ouvidos para amizades erradas e pessoas que fingem ser amigas dela” e que ele teria sido usado pelo “inimigo” para ter uma reação totalmente errada. 

Crime
De acordo com o apurado, o rapaz não aceitava o fim do relacionamento. Naquela noite, ele teria ligado para a jovem dizendo que iria até sua casa para buscar o filho, já que tinha a intenção de ficar com ele. Não se sabe o que teria ocorrido no local, mas o fato é que o jovem golpeou sua ex-companheira, atingindo-a com três golpes de faca. 
A mãe da jovem teria dito para a polícia que o acusado passou em sua residência e pediu para que ela fosse até a casa da filha, pois ela poderia precisar de ajuda. 
Quando ela chegou ao local, encontrou a filha caída no quintal da casa, estando gravemente ferida. Uma ambulância do hospital de Avanhandava foi acionada ao local e socorreu a jovem à unidade, entretanto, Gabriela não resistiu aos ferimentos e morreu quando recebia atendimento médico. O rapaz, após o fato, fugiu do local, levando com ele o filho. A Polícia Civil instaurou inquérito e o fato está sendo investigado. Até o fechamento desta edição ele permanecia desaparecido e levado o filho com ele. Entretanto, de acordo com o apurado, o acusado deixou o filho com seu pai, na cidade de Queiroz. O Conselho Tutelar teria sido acionado e o menino levado para uma casa que abriga crianças em situação de vulnerabilidade na cidade de Tupã. Segundo o apurado, a criança estaria bem, mas bastante assustada e chamando pela mãe.

(Rafael Machi)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.