Classificados

VÍDEOS

Penápolis no programa Cidade contra Cidade do SBT em 1989
Residência pega fogo em Penápolis

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

GERAL

08/11/2023

Professores da UEM aprovam deflagração de greve

Imagem/José Fernando Ogura/AEN
Detalhes Not�cia
O sindicato da categoria também solicitou a suspensão do calendário acadêmico

DA REDAÇÃO

Os professores da UEM (Universidade Estadual de Maringá) aprovaram na segunda-feira (6), deflagração de greve da categoria. É a retomada do movimento paredista iniciado em maio e que estava suspenso para apresentação do PCCS (Plano de Cargos, Carreiras e Salários) pelo governo estadual.

O presidente da Sesduem (Sindicato dos Docentes da UEM), Thiago Fanelli Ferraiol, afirmou em um vídeo divulgado nas redes sociais que a greve tem como exigência a imediata apresentação do PCCS. Na quarta-feira (1°), o governo do Estado anunciou um projeto de lei que prevê aumento nos pagamentos adicionais de acordo com a titulação dos professores. Com a medida, docentes com especialização passam a receber um adicional de titulação de 30%, os mestres de 60% e os doutores de 105%. Atualmente os percentuais são de 25%, 50% e 80%, respectivamente.

“O governo, apesar de ter anunciado em seu site, não apresentou a minuta do plano de carreira. E [queremos] que a partir daí se abra um espaço para a efetiva negociação”, declarou, citando que, até o momento, a discussão sobre as alterações nas carreiras ficou restrita aos reitores e ao governo. “A categoria docente deliberou em sua assembleia para que essa minuta seja apresentada e que os docentes possam efetivamente negociar.”

Assim que a administração estadual apresentar a minuta, deverá ser convocada uma nova assembleia docente para deliberar sobre a aceitação ou não.

Com a decisão, a Sesduem enviou um ofício para o CEP (Conselho de Ensino e Pesquisa) da universidade solicitando a suspensão do calendário acadêmico a partir desta segunda-feira (6) “e pelo tempo que durar a greve”.

UEL

Em greve desde a semana passada, os professores da UEL (Universidade Estadual de Londrina) aprovaram segunda-feira a continuidade da paralisação por ampla maioria. A próxima assembleia está agendada para esta sexta-feira (10). (Com informações Folha de Londrina)

VEJA TODAS AS NOT�CIAS

© Copyright 2024 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade