Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis

SUA OPINIÃO

Você tem respeitado a quarentena e ficado em casa neste período de pandemia?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

GERAL

20/03/2020

Presidente do Einstein prevê pico de covid-19 em 2 semanas

Imagem: Simon Plestenjak/UOL
Detalhes Not�cia
Sidney Klajner é presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein

O pico dos casos na epidemia de covid-19 no Brasil deve ocorrer no início de abril. A previsão foi feita na quarta-feira (18) pelo presidente do Hospital Albert Einstein, o médico-cirurgião Sidney Klajner, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.
Ele afirmou que neste momento "é muito importante que as pessoas se conscientizem da importância de permanecer em casa" para tentar impedir o avanço do vírus. Ainda segundo estima ele, para cada caso notificado da doença hoje existem outros 15 infectados sem diagnóstico.
"É importante se conscientizar de que a única forma de a gente mitigar o impacto dessa epidemia é não disseminar o vírus, permanecer em casa, porque o quadro é grave", afirmou Klajner. De acordo com ele, o hospital saltou de 12 casos de suspeitas, na segunda-feira, com quatro confirmações da covid-19, para 45 internações, 21 confirmadas, com sete pacientes na UTI.
Para Klajner, a situação tende a se agravar no país com um pico de casos em duas semanas.
Na opinião dele, há também no Brasil um problema adicional. "A subnotificação dos casos", afirmou. Ele afirmou que para cada caso notificado, haja pelo menos 15 outros contaminados que não estão sendo diagnosticados. "Até pelo fato de muitos casos serem assintomáticos, como pode ocorrer com as crianças, por exemplo", afirmou.
Em quadros normais, um diagnóstico da doença pode levar cerca de três horas e custa em torno de R$ 150.
"Mas a testagem, porém, por causa do aumento súbito no volume dos casos, depende de indicação médica", alertou Klajner.
"Chegamos a ter, nos últimos dias, 2 mil testagens", disse. "Mas restringimos a testagem aos pacientes com indicação médica", explicou o médico.
O atraso na confirmação do diagnóstico, lembrou ele, ocorre pelo volume de pessoas na fila. "O atraso para o resultado é causado pela fila de exames", afirmou Klajner.

(Com Estadão Conteúdo)

VEJA TODAS AS NOT�CIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.