Classificados

VÍDEOS

LIVE SOLIDÁRIA BANDA TUNA
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ESPORTES

06/07/2020

Reviravolta. E Palmeiras aceita péssimo negócio por Dudu

Imagem/Divulgação
Detalhes Not�cia
Dudu insiste em ir embora. E o Palmeiras cede. Até por empréstimo

A encaminhada venda de Dudu para o Al Duhail, do Qatar, já provocou desconforto entre os conselheiros que dão sustentação política para o presidente Mauricio Galiotte.
Eles sabem muito bem que o Palmeiras não tinha interesse em vender seu principal atacante. E que ele peça fundamental para Vanderlei Luxemburgo, no sonho para reconquistar a Libertadores, depois de 1999.
Foi o jogador que provocou essa situação, para se afastar dos problemas que tem com a ex-esposa. Inclusive com acusação de agressão na polícia.
Galiotte se dobrou porque havia prometido negociar o atleta, que recusou cerca de dez propostas, desde foi contratato em 2015.
O Palmeiras segue recebendo as parcelas totais da Crefisa, mesmo sem jogar desde março. 
Os jogadores têm se submetido aos cortes de salários de 25% e divisão dos direitos de imagem.
Ou seja, economicamente, está tudo sob controle.
Ainda mais com a perspectiva de volta do futebol no próximo mês.
Só que Dudu insistiu com Galiotte que 'tem de sair do Brasil'. 
Ele quer ficar em paz, longe da ex-esposa.
O Palmeiras queria 15 milhões de euros, R$ 89 milhões.
Mas o clube do Qatar soube das confusões, dos problemas pessoais de Dudu, e percebeu que poderia negociar.
Conseguiu abaixar o preço para 13 milhões de euros, R$ 77 milhões.
Mais um milhão de bônus, R$ 5,9 milhões, dependendo do desempenho.
Com o Palmeiras ficando com 20% em uma eventual venda.
A negociação não empolgou conselheiros e mesmo membros da diretoria palmeirense. Afinal, a perda para o time é muito grande.
Na verdade, provocou revolta.
Só que vazou ontem que a negociação pode não ser fechada da maneira que estava sendo divulgada.
Os representantes do Al Duhail se mostravam reticentes, preocupados com o comportamento, com a adaptação de Dudu no Qatar, país islâmico e com costumes muito rígidos.
Homens e mulheres podem ser punidos por trocarem apertos de mão em público.
As notícias que saíram sobre Dudu foram traduzidas para os dirigentes qatarianos. E os vídeos com sua ex-esposa também foram vistos.
Daí a insegurança em comprar o atacante.
Foi quando Dudu e seu empresário André Cury sugeriram outra forma de negociar. Ele iria por empréstimo de um ano. 
Pela pouco mais da metade do preço, 7 milhões de euros, cerca de R$ 41 milhões.
E se cumprisse algumas metas em campo, como ser titular, e não criasse problemas fora do campo, o Al Duhail pagaria os 6 milhões de euros, cerca de R$ 35 milhões restantes.
Os qatarianos gostaram da proposta.
Galiotte não, mas cedeu diante da insistência, dos apelos de Dudu.
O Al Duhail já até rescindiu, ontem, o contrato com o atacante croata Mandzukic. Abriu uma vaga a mais um estrangeiro para inscrever Dudu. O clube já tem zagueiro Benatia, do Marrocos e os atacantes Han Kwang-Song (norte-coreano) e Edmilson Junior (belga).
A negociação teve uma reviravolta e se encaminha para o empréstimo.
O que desagradou conselheiros e torcedores, que protestaram nas redes sociais.
O Palmeiras está abrindo mão de seu principal jogador por um valor baixo demais.
Só como exemplo, Keno foi para o Al Ahram Pyramids, em 2018, por 8,6 milhões de euros, cerca de R$ 47 milhões.
Roger Guedes foi para o Shandong Luneng, da China, também em 2018, por 9,5 milhões de euros, R$ 53,7 milhões.
Ninguém tem a certeza de que Dudu suportará os rígidos costumes do Qatar.
Pode retornar em 2021, caso não se adapte.
E o Palmeiras perdê-lo na temporada 2020, quando o time estava encaixado. E tendo o jogador como referência na parte ofensiva.
O presidente faz o clube se dobrar à vontade do jogador, que tem contrato até 2023.
Por problemas pessoais que podem ser resolvidos.
Em termos práticos, a negociação é péssima.
E, se for fechada como empréstimo, pode até inviabilizar o retorno de Roger Guedes, como substituto do atacante.
Enfim, há muita supresa e decepção.
Galiotte encaminha o pior negócio de seus mandatos...

(Com COSME RÍMOLI - Do R7)

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.