Classificados

VÍDEOS

LIVE SOLIDÁRIA BANDA TUNA
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ESPORTES

02/04/2021

Éder defende o futebol chinês: "Lá, treinava mais do que na Inter de Milão"

Imagem/Reprodução
Detalhes Not�cia
O jogador de 34 anos acredita que não esteve em um contexto físico e técnico menos favorável nos últimos anos

Reforço para o ataque do São Paulo, Éder foi apresentado oficialmente na quarta-feira. Depois de atuar por duas temporadas no futebol chinês, o jogador de 34 anos acredita que não esteve em um contexto físico e técnico menos favorável nos últimos anos. Éder garante que a exigência em relação ao condicionamento físico e à entrega no futebol chinês é muito semelhante ao que ele viveu na Itália, país no qual atuou por mais de dez anos. "A diferença do futebol europeu para o chinês é a visibilidade. Na Itália você tem mais acesso aos jogos, na China você tem menos. Particularmente, eu treinava mais na China do que na Inter de Milão. O meu treinador romeno era considerado o Mourinho da Ásia, muitos anos em Dubai, no Catar, na Coreia. Acho que o nível de treino é muito bom. No Campeonato Italiano, vamos dizer que eu corria 12,5 quilômetros. Na China era mais ou menos isso", afirmou o atacante. Éder acredita que os casos de insucesso no retorno do futebol chinês ao Brasil não estão relacionados a questões físicas, destacando a importância do jogador manter um cuidado constante com o corpo. "Não acompanhei muito o Hernanes e o Pato. Mas, na primeira passagem, o Hernanes ajudou o São Paulo quando voltou da China. Em um momento difícil, acho que a passagem dele foi bem boa. Tem a vontade de trabalhar e se cuidar, durante a semana tem uma parte de treino forte e alimentação para que chegue na melhor forma possível", disse Éder. "Pode ter um problema de adaptação, pode ser difícil se adaptar depois de muitos anos na Itália e depois na China. Um futebol diferente. Assim como meninos que fazem a diferença aqui hoje e não fizeram na Europa, mas acho que é só uma questão de adaptação, e não de parte física", finalizou.

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2021 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade