Classificados

VÍDEOS

Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

SUA OPINIÃO

Você tem respeitado a quarentena e ficado em casa neste período de pandemia?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ESPORTES

21/03/2020

Chama olímpica chega ao Japão cercada de dúvidas

Imagem/Reprodução
Detalhes Not�cia
A chama aterrissou na Base Aérea de Matsushima, na província japonesa de Miyagi

A chama olímpica chegou ao Japão ontem em meio a uma recepção discreta, que foi drasticamente reduzida devido à pandemia que levantou questões sobre se os Jogos de Tóquio/2020 poderão afinal ser realizados conforme programado. A chama aterrissou na Base Aérea de Matsushima, na província japonesa de Miyagi, escolhida como parte dos “Jogos Olímpicos de Recuperação” para mostrar o renascimento da região após o terremoto, tsunami e acidente nuclear de 2011. Os ex-atletas japoneses Saori Yoshida e Tadahiro Nomura receberam a chama e a conduziram através de uma guarda de honra a um caldeirão em forma de flor de cerejeira em um palco diante de convidados selecionados. No entanto, cerca de 200 crianças de escolas locais, que iriam acolher a chama, foram mantidas afastadas, como parte do que os organizadores chamaram de decisão “dolorosa” de reduzir os eventos enquanto o mundo luta contra a pandemia do Covid-19. Isso nos entristece muito”, havia admitido na terça-feira Toshiro Muto, diretor-executivo do Comitê Organizador de Tóquio 2020, se resignando a anunciar medidas para limitar a propagação do coronavírus durante a viagem da chama por todo o país. Esse fogo, símbolo da união da humanidade em torno do espírito olímpico, foi aceso sem a presença do público no dia 12 de março nas ruínas de Olímpia, na Grécia. Durante sua curta jornada em solo grego, foi decidido interromper o revezamento devido ao alto fluxo de pessoas, também como uma medida diante da pandemia. Surgida na China em dezembro, a doença causou quase 9.000 mortes em todo o mundo, forçando o confinamento em países inteiros, enquanto disparam os temores sobre os terríveis efeitos na economia mundial. Iniciando sua jornada por Tohoku (na região nordeste), a chama devia simbolizar a reconstrução das áreas atingidas pelo gigantesco tsunami de 11 de março de 2011, que também causou a catástrofe nuclear de Fukushima.

 

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.