Classificados

VÍDEOS

Penápolis no programa Cidade contra Cidade do SBT em 1989
Residência pega fogo em Penápolis

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ESPORTES

11/06/2017

CANTINHO DA SAUDADE

Imagem/Arquivo Pessoal
Detalhes Not�cia

Memórias do Carboni: 1ª DIVISÃO

O vice campeonato conquistado no Campeonato Amador da 2ª divisão de 1991, deu ao Fátima o direito de disputar a 1ª divisão no ano seguinte. A estreia se deu no dia 16 de agosto de 1992, um domingo de manhã, no Estádio Municipal. Nosso oponente era um velho adversário já de muitos anos, a Associação Atlética Aparecida. O jogo começou bem para nossa equipe, que fez 1 a 0 logo aos 10 minutos através de Aragão. Aos 22 minutos, Sabará ampliou, e o primeiro tempo terminou com nossa vitória por 2 a 0. Só que as coisas não corriam assim tão bem para nosso lado, pois Zico se machucou, entrando Ferrugem em seu lugar. No início do 2º tempo, para conter um ataque da Aparecida, ele segurou o centroavante dentro da área. Penalti convertido em gol e nosso jogador expulso. O time se abalou um pouco e não demorou muito para sofrermos o empate. Daí para frente o jogo foi equilibrado e as duas equipes tiveram oportunidades de passar a frente do marcador, mas pelo jeito parecia que o placar ficaria mesmo no empate de 2 a 2. Jogo vai, jogo vem, até que as 44 minutos surge uma falta a nosso favor, nas imediações da área grande, do lado do gol de entrada. O encarregado da cobrança foi o Dirceu, que fez uma cobrança magistral, colocando a bola bem no ângulo. O goleiro caiu segurando a bola, só que esta já havia ultrapassado a linha de gol. Ele levantou-se depressa, pondo a bola em jogo, já conseguindo enganar o juiz, mas a atitude do bandeira (Valmir) foi muito louvável, pois ele correu para o meio de campo, confirmando o gol. Nossos jogadores chamaram a atenção do juiz, que, parando o jogo, foi consultar o bandeira. Após inteirar-se do fato, indicou o centro de campo, confirmando o gol. Isto gerou um descontentamento entre a torcida adversária, que pulou o alambrado em grande número. Nossa torcida não deixou por menos e também pulou o alambrado. Formou-se uma grande confusão, com muito empurra-empurra e muito deixa disso. Tal discussão perdurou por alguns minutos, mas pouco a pouco os ânimos foram se acalmando e tudo voltou ao normal, tendo o jogo prosseguimento em seus poucos minutos restantes. O final do mesmo indicou nossa vitória por 3 a 2. Do estádio fomos até a sede do clube, beber a merecida cerveja. Nesse dia, o Partido dos Trabalhadores (PT) estava realizando um churrasco para arrecadar dinheiro para a campanha eleitoral daquele ano. Eu comprara 10 convites para dá-los aos amigos mais chegados e por este motivo, eu e os demais que tínhamos os convites, deixamos o pessoal na sede e nos dirigimos justamente para o barracão da Igreja Aparecida, local do evento. Mais tarde chegaram outros jogadores e foi aí que começou a correr o boato, de que o Fátima perderia os pontos. E porque isso? É que quando faltavam 13 minutos para acabar o jogo, Fernandão saiu, cedendo seu lugar a Isaias ou Buiú, como é mais conhecido. Como as fichas dos jogadores passavam pela Federação Paulista de Futebol, todos aqueles que tivessem vínculo com alguma equipe, que não fosse a qual estava se inscrevendo, precisaria cumprir um estágio de 30 dias, a contar do dia da assinatura da ficha. O Isaias havia disputado o Campeonato Estadual Júnior para a equipe da cidade de José Bonifácio, e fez grande sucesso, inclusive no dia em que jogou contra a equipe do Clube Atlético Penapolense. Eu tinha me esquecido disso, e quando da assinatura das fichas, eu perguntei a todo mundo se eles tinham vínculo com alguma equipe e todos negaram, inclusive o Buiú. Talvez ele tenha pensado que como o campeonato já havia terminado, seu compromisso também findara, ou que pelo fato do time ser de outra cidade, ele estaria livre. Mas foi tudo ledo engano, pois era preciso um tempo de liberação, dado pela equipe a qual ele pertencia. O mesário do jogo (Oscar), sabia que o Isaias não podia jogar, mas mesmo assim ele não nos avisou, pelo contrário, correu contar aos dirigentes aparecidenses, que se eles entrassem com recursos na Liga, por certo ganhariam os pontos. E foi o que fizeram. O time de José Bonifácio confirmou a ligação com Isaias, e o processo foi todo para São Paulo, ser julgado na Federação, não cabendo ao Fátima nenhuma defesa. Daí a poucos dias veio a decisão: os pontos do jogo passariam para a equipe do Aparecida, e aquilo que foi tão duramente conquistado dentro de campo foi facilmente perdido no tapetão devido a um descuido, principalmente meu, que deveria ter feito uma pesquisa melhor com os meus jogadores, acerca de eles terem ou não vínculo com outra equipe.

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2024 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade