Classificados

VÍDEOS

Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar
Residência pega fogo em Penápolis

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ESPORTES

22/07/2020

Bola de Ouro não será entregue pela primeira vez na história

Imagem/Reprodução
Detalhes Not�cia
Devido a pandemia da Covid-19, não haverá a entregará da Bola de Ouro este ano

A France Football anunciou segunda-feira que não entregará a Bola de Ouro no ano de 2020. Essa será a primeira vez na história, desde 1956, ano em que o prêmio foi criado, que a revista não entregará o tão aclamado título de melhor jogador do mundo. A revista afirma que o ano mais do que excepcional, por conta da pandemia do novo coronavírus, exige medidas extremas e que, em caso de dúvida, é melhor deixar a Bola de Ouro de lado do que entregá-la de forma injusta ou precipitada. “Em circunstâncias excepcionais, disposições excepcionais. Pela primeira vez em sua história, iniciada em 1956, o Ballon d'Or France Football não será premiado em 2020, devido à falta de condições justas suficientes”, disse a France Football em comunicado oficial. “Um ano tão singular não pode - e não deve - ser tratado como um ano comum. Em caso de dúvida, é melhor se abster do que persistir”. Dessa forma, Neymar, Lewandowski e De Bruyne terão de esperar mais ano para levar o prêmio ainda inédito, enquanto Messi e Cristiano Ronaldo, os maiores vencedores da premiação, ficarão com um ano de hiato em sua extensa lista de troféus.  Além disso, a revista também afirma que os candidatos ao prêmio não puderam disputá-lo em nível de igualdade ao longo de 2020, com a paralisação do futebol, o retorno das ligas em datas diferentes, mudança no regulamento de competições - como a Champions League - e com a diferença no tempo de preparação que algumas equipes tiveram. Um dos exemplos é o PSG, que está sem disputar competições oficiais desde a paralisação do futebol, enquanto as outras principais ligas européias retornaram normalmente. “A justiça que prevalece para esse título honorário não pôde ser preservada, principalmente no nível estatístico e também na preparação, uma vez que todos os aspirantes ao prêmio não puderam ser alojados no mesmo barco, alguns tendo visto sua temporada cortar radicalmente curto, outros não”, explicou a revista. “Não queríamos colocar um asterisco indelével na lista de prêmios como ‘troféu ganho em circunstâncias excepcionais devido à crise de saúde da Covid-19’. Sempre preferimos uma pequena entorse (em nossa história) do que uma grande cicatriz”. Por fim, a France Football lembra que a Bola de Ouro não premia apenas o nível técnico dos jogadores, mas também transmite outros valores, que vão muito além do futebol. O que neste momento, deve ser a prioridade. “O troféu Ballon d'Or transmite outros valores - como exemplaridade, solidariedade e responsabilidade - em vez de apenas a excelência esportiva” “A situação não nos encanta, mas nos parece a decisão mais responsável e lógica. Proteger a credibilidade e legitimidade de tal prêmio também significa garantir sua perfeição ao longo do tempo”. Cabe destacar que a decisão envolve apenas a Bola de Ouro. Desde 2016, a France Football e a Fifa anunciaram o fim da parceria para a entrega de um prêmio unificado, com a criação do Fifa The Best. Com modelos próprios e distintos, ambas elegem o melhor jogador do mundo na temporada.

 

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

© Copyright 2021 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade