Classificados

VÍDEOS

Residência pega fogo em Penápolis
Penápolis no programa Cidade contra Cidade do SBT em 1989

CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ARTIGOS

02/04/2024

Música Sertaneja: Abel e Caim

Imagem/Reprodução
Detalhes Notícia

Amigo amante da música sertaneja hoje você vai conhecer um pouco sobre a história da dupla formada pelos primos Abel e Caim.
José Vieira (Abel) nasceu em Itajobi/SP, em 27 de abril de 1929.
Sebastião da Silva (Caim) nasceu em Monte Azul Paulista/SP, em 20 de janeiro de 1944.
Abel deu os seus iniciais passos na vida artística cantando em Catanduva e Novo Horizonte. Por volta dos anos 1955 e 1956 fazia algum sucesso com a parceria feita com o sobrinho Lair Rodrigues. Tempos depois, deixou o interior e foi para a capital.
Caim, em 1957, participava de um trio onde atuava ao lado de uma irmã e de um garoto até migrar para a capital paulista. Abel e Caim foram se encontrar em São Paulo no ano de 1967. Como os dois já haviam formado outras duplas, resolveram cantar juntos e, depois de vários ensaios, acabaram se acertando.
Jacozinho (da dupla com Jacó) deu-lhes o nome de Abel e Caim. A parceria teve um início glorioso. Era o tempo dos concursos e festivais. Na época a TV Cultura realizava, sob o comando de Geraldo Meirelles, um grande concurso de violeiros. Abel e Caim participaram, e entre mil e quinhentas duplas inscritas, obtiveram o primeiro lugar em uma sensacional vitória. Fizeram parte do júri: Raul Tôrres, Nhô Zé, Nenete, Athos Campos, Julião, entre outros grandes nomes do nosso cancioneiro. Ganharam como prêmio um contrato com a Gravadora Chantecler e a gravação de seu primeiro LP, que se transformou em sucesso e abriu as portas para outras oportunidades. A primeira delas, foi um convite feito pela Rádio Nacional, hoje Globo, para que participassem do primeiro festival realizado por aquela emissora.
Nesse festival era avaliada além da dupla a música que cantariam. Defenderam a música “Natureza” de autoria de Dino Franco. Após dramática disputa duas músicas empataram no primeiro lugar: “Poeira”, defendida pelo Duo Glacial, e “Catira”, cantada por Zico e Zeca. A música “Natureza” interpretada por Abel e Caim conquistou o terceiro lugar. Daí para frente foi só sucessos, programas de rádio, shows por todo o Brasil e vários discos gravados, totalizando 28 LPs e 07 CDs.
Começaram na Chantecler, depois entraram para a Continental, RCA Victor, Copacabana, CBS, CID e Tape Car.
Entre seus grandes sucessos destaco: Santa Luzia, Mãe Amorosa, Natureza, O Barco, Orquestra da Natureza, O Menino e o Cachorro, Berrante Assassino, Laço do Boi Soberano, entre outros.
A dupla se desfaz com o falecimento de Abel, no dia 12 de janeiro de 2011 na cidade de Araçatuba/SP.
Em 2015, Caim formou outra dupla com o cantor Adel, onde gravaram 2 CDs e estavam fazendo vários shows pelo Brasil inclusive, se apresentaram em nosso encontro de violeiros em Penápolis. Adel faleceu em 2019, dando fim a dupla Adel e Caim. 
Caim, continuou cantando junto com amigos e se apresentando. Ainda em 2019 Caim fez uma de suas ultimas apresentações no Bairro Rural Saltinho do Galinari em Penápolis onde foi homenageado na Festa Dos Tropeiros.
Com a saúde um pouco debilitada Caim morava em Marília/SP e veio a falecer na última sexta-feira (29) aos 80 anos de idade. Nossos sinceros sentimentos à esposa Rita, aos filhos Ricardo e Fabiana, a todos familiares e amigos.
Semana que vem tem mais curiosidades e histórias da nossa música sertaneja, grande abraço.

 

(*) LUIZ HENRIQUE PELÍCIA (Caipirão) tem o programa “Clube do Caipirão” transmitido para mais de 200 rádios em todo o Brasil diariamente. Apresenta de segunda a sábado das 05h às 08h da manhã o programa “Diário no Campo” pela FM DIÁRIO 89,9 de São José do Rio Preto/SP. Caipirão escreve às terças-feiras para o jornal DIÁRIO DE PENÁPOLIS.

Luiz Henrique Pelícia (Caipirão) (*)



© Copyright 2024 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade