Classificados

VÍDEOS

Penápolis no programa Cidade contra Cidade do SBT em 1989
Residência pega fogo em Penápolis

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ARTIGOS

28/11/2023

Música Sertaneja: Roberto e Meirinho

Imagem/Reprodução
Detalhes Not�cia

Amigo amante da música sertaneja hoje você vai conhecer um pouco da história da história da dupla Roberto e Meirinho. 
Agradecendo sempre nossa amiga Sandra Peripato pelo apoio e pesquisas.
Nascidos em São José do Rio Preto/SP, Roberto e Meirinho tornaram-se o primeiro fenômeno da música sertaneja a romper fronteiras e apresentar-se no exterior, também o que poucos não sabem é que foram a primeira dupla a gravar com um artista estrangeiro. 
Os irmãos iniciaram a carreira tocando bateria em bailes de sua cidade natal. Em 1973, Meirinho mudou-se para São Paulo a fim de seguir a carreira artística. Formou um trio com Tibagi e Miltinho, onde tocava sanfona. Trabalhou em diversas casas noturnas. Com a chegada do irmão a São Paulo, gravaram o primeiro disco, em 1975, que foi um LP misto intitulado “Linha Sertaneja Classe A”, onde interpretaram a composição “Tu Tá Cumeno Vrido”. 
O primeiro grande sucesso foi na década de setenta com a música “Tu Tá Cumeno Vrido”, que vendeu na época 1 milhão de discos e quase se tornou marcha de carnaval. No início da década de 80 foi inevitável, o disco com a moda carro chefe “ A Noite do Nosso Amor” somando a sucessos como “Sanfona Furada”, “Fungado na Barra” e “Pranto Escondido”. Alcançou a marca expressiva de “1 milhão e quatrocentos mil discos”. Surgiram na trajetória outros inúmeros sucessos como “Lágrimas” que rendeu mais dois discos de platina e dois de ouro, também “Vamos Lá Pra Ver”, “Tô Naquela que Jogaram na Geni”, entre tantos outros. Também fizeram parte do elenco do filme “O Menino da Porteira”, uma das maiores bilheterias de todos os tempos no cinema brasileiro. Foram protagonistas durante anos da “Linha Sertaneja Classe A” da “Rádio Record”.
Consagrados não só como intérpretes, mas compositores por excelência são responsáveis por inúmeros sucessos entre eles a música “Vá Pro Inferno com Seu Amor”, música que até hoje é uma das mais executadas em todo o Brasil. Até hoje são lembrados como um dos melhores shows da música sertaneja, e grandes nomes têm como inspiração suas apresentações marcantes nos palcos!
A história dessa fabulosa dupla foi interrompida em 29 de junho de 2002, com o falecimento do Meirinho. Após essa perda Roberto deu uma pausa na carreira e retomou as atividades em 2006 lançando dois trabalhos solo como Roberto Meirin homenageando seu irmão.
Em 2007 decorrente a inúmeros pedidos e sugestões de amigos uniu seu talento e experiência ao filho do Meirinho, seu sobrinho Meirinho Jr. A música “ É Eu Bem” veio para consagrar a nova faze de “A Dupla Orgulho do Brasil”.
Vale ressaltar que no ano de 2009 a dupla recebeu o troféu “Destaques do Ano” e a indicação para o “Prêmio Mult Show” no ano de 2010.
Em 2013 lançam o primeiro DVD da dupla em comemoração aos 40 anos de carreira.
No decorrer de sua carreira foram mais de 10 milhões de discos vendidos, 01 disco diamante, 04 discos de platina duplos, 02 discos de platina, 06 discos de ouro e Troféu Imprensa.
Atualmente eles apresentam um programa de rádio no qual é veiculado por várias rádios do Brasil.
Recentemente lançaram em suas redes sociais e plataformas digitais algumas nova canções como “Maluco Beleza” e “Lágrimas”.
Amigos, semana que vem tem mais sobre a nossa música brasileira, grande abraço.

 

(*) LUIZ HENRIQUE PELÍCIA (Caipirão) tem o programa “Clube do Caipirão” transmitido para mais de 200 rádios em todo o Brasil diariamente. Apresenta de segunda a sábado das 05h às 08h da manhã o programa “Diário no Campo” pela FM DIÁRIO 89,9 de São José do Rio Preto/SP. Caipirão escreve às terças-feiras para o jornal DIÁRIO DE PENÁPOLIS.

Luiz Henrique Pelícia (Caipirão) (*)



© Copyright 2024 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade