Classificados

VÍDEOS

Residência pega fogo em Penápolis
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ARTIGOS

22/01/2022

Perigo que crianças e adolescentes correm com crimes em jogos on-line

Todos os pais sabem que hoje o mundo eletrônico é uma realidade nas vidas dos filhos, a disputa com o mundo dos jogos online se torna cada vez maior e os riscos existentes com essa mudança de realidade. Pesquisas recentes apontam que no EUA residências comuns possuem ao menos um console. Já no Brasil 48% dos lares possuem pelo menos um console, PC ou smartphone dedicado aos jogos.
Uma característica dessa nova relação em relação aos jogos online é a ferramenta mais usada para jogar são os smartphones, utilizado por 83% dos usuários, depois vem os consoles, com 48,5%. Em relação as crianças estudos apontam que 63% com idades entre 2 e 17 anos usam dispositivos móveis para jogar.
Embora os jogos on-line proporcionem uma interação social para os jovens e diversão, existe também um lado mais obscuro, nessas áreas as crianças e jovens estão expostos a perigos e riscos como bullying, roubo de identidade, fraude de cartões de crédito e até exploração sexual. Assim, as preocupações são inúmeras quando o assunto é jogos on-line.
A palavra de ordem em relação a esse tema é prevenção e o primeiro passo é desenvolver constantemente um diálogo com os filhos sobre segurança on-line , e isso o quanto antes, já na infância e no decorrer dos anos, conforme forem crescendo. O entendimento desses os riscos farão com que os filhos deem mais importância para a segurança, é muito mais provável que eles procurem você quando algo os preocupar.
Mesmo com essa conversa é preciso cuidado com perigos online, seguem alguns e precaução que os pais devem tomar:
1. Cuidado com vírus e Malware — como cavalo de Troia. Esses vírus existentes no mercado podem modificar um aplicativo legítimo, trocando por uma versão maliciosa no Google Play ou em outro mercado legítimo. Por isso é importante alertar a todos para que sejam tomados todos os cuidados antes de baixar um aplicativo de jogo, por exemplo. Eles podem parecer legítimos ou estar disfarçados de legítimos. Dependendo da idade do filho, fique responsável por aprovar todos os downloads nos dispositivos. Instale um verificador antimalware confiável para poder conferir regularmente todos os dispositivos de sua família. Os jogos on-line não são só diversão. 
2. Bullying virtual — esta é uma realidade crescente no mundo online e que poucos pais percebem, e quando isso ocorre as crianças já estão muito abaladas, sofrendo até mesmo de depressão. No refúgio no mundo on-line ninguém sabe quem são as pessoas. Mas, mesmo assim nos jogos online, jogadores aproveitam essa mudança de identidade para ‘agredir’ outros jogadores, deliberadamente tornando o jogo menos interessante. Existem casos de criação de boatos sobre os jogadores com mensagens ofensivas, divulgação em canais de bate-papo com spams contendo comentários difamatórios sobre suas vítimas. É interessante uqe os filhos saibam como bloquear esses tipos de comentários e que sejam orientados a deixar grupos caso isso ocorra. É sempre bom anotar ou capturar a tela de qualquer conversa ofensiva e denunciá-la aos administradores do jogo.
3. Falhas de privacidade, nos jogos on-line é simples que os criminosos virtuais manipulem as conversas e utilizem de descuidos para obter dados pessoais e até dados bancários. Uma orientação é que as crianças nunca criem nomes de usuário derivados de seus nomes verdadeiros ou que indiquem sua localização ou idade. Dependendo dos dados os hackers conseguem abrir contas no nome da criança ou ter acesso a contas existentes. 
4. Roubo de contas e senhas — isso ocorre com muita facilidade nos dias atuais e pode levar aos hackers a passarem pelos filhos. Assim, oriente aos jovens que constantemente alterem as senhas dos acessos aos jogos e redes sociais, além de orientar que sempre essas não sejam simples. Também utilize todas as ferramentas de segurança que esses jogos disponibilizam, como é o caso de autenticação dupla ou tripla, por meio de SMS ou aplicativos do Google e outros.
5. Exposição de imagem de forma indevida, esse é um dos maiores riscos que podem até mesmo resultar em exploração sexual, é muito grave, é fundamental a preocupação com a webcam, essas podem ser invadidas por hackers. Mantenha sempre um padrão de configuração da webcam, como “desligada”.
6. Existem predadores on-line, que são jogadores mais velhos que usam videogames para atrair e envolver vítimas mais jovens. O resultado final pode ser mensagens impróprias, conversas pela webcam ou até encontros presenciais, que podem acabar em exploração sexual. Fique assim atento a rede de relacionamentos dos filhos, converse e explique sobre esses ricos para que comuniquem em caso de qualquer ato suspeito.
7. Tem jogos que aparentemente são gratuitos, mas que podem gerar gastos descontrolados, com compra de vantagens e itens para o mundo virtual, muitos jogos on-line usam o modelo “freemium”; ou seja, eles disponibilizam um conteúdo gratuito para você, exigindo pagamento para acessar outras partes do jogo, por exemplo. Assim, nunca informe o número de cartão de crédito para jogos.

(*) Afonso Morais, sócio fundador e CEO da Morais Advogados Associados e Especialista em Recuperação de Crédito e Fraudes Digitais.

Afonso Morais (*)



© Copyright 2022 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade