Classificados

VÍDEOS

Residência pega fogo em Penápolis
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

CLIMA

Tempo Pen�polis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endere�o Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ARTIGOS

24/07/2021

Um presidente bem assessorado

Samantha Power, jornalista e escritora, foi embaixadora dos Estados Unidos junto à ONU, durante o governo Barak Obama. Agora, Joe Biden a indicou para chefiar a Usaid - agência dos Estados Unidos para o desenvolvimento Internacional. Bela demonstração de que o povo merece os melhores, sem a patrulha mesquinha da ideologia ou do reconhecimento de que o antecessor soube escolher. 
Os brasileiros devem conhecer a escritora Samantha Power que publicou “A educação de uma idealista”, suas memórias, e já havia escrito “O homem que queria salvar o mundo”, biografia de Sérgio Vieira de Mello (1948-2003), um dos raros heróis brasileiros contemporâneos, que já parece ter caído no oblívio. A cultura presente é adepta da “tática das homenagens”, que visa cargos, funções e poder e não as pessoas.  
Para Samantha, se ele estivesse vivo, seria o secretário geral da ONU e estaria indignado com a crise do coronavírus que não conta com a cooperação Internacional, mas viu surgir nacionalismos e tem o maior inimigo no obscurantismo ignorante de mentes toscas.
Impressionante a história de Samantha, que migrou para os Estados Unidos ainda na infância, junto com a mãe e um irmão também pequeno. A mãe é uma influência decisiva em sua vida. “Nossa mãe é a força da natureza em nossa vida. e minha mãe particularmente teve muita força, ao mudar-se da Irlanda para cá comigo e meu irmão menor. Era uma mulher habilidosa e que não se deixava assustar por limites. Era atleta, jogava squash, tênis, hóquei , era médica. sempre me ensinou que se você tem um sonho na vida, não deve desistir de tentar, apesar da perspectiva do fracasso”.
Essa lição é a temporal e não tem limites nacionais. Serve para todas as pessoas que, hoje, têm muitas razões para não serem otimistas. É preciso acreditar no projeto humano, a despeito de maus exemplos que nos fazem duvidar da vocação de perfectibilidade das criaturas racionais.
Também é confortável constatar que em algum lugar do planeta existe um presidente preocupado com o fortalecimento da democracia, com a defesa dos direitos humanos e com a preservação da Amazônia. Acima de tudo, sabe escolher quem o acompanha.

(*) José Renato Nalini é Reitor da Uniregistral, docente da Pós-graduação da Uninove e Presidente da Academia Paulista de Letras – gestão 2021/2022

José Renato Nalini (*)



© Copyright 2021 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.

Política de Privacidade