Classificados

VÍDEOS

Apaixonados por carros antigos se reúnem em Penápolis
Agrosoles - Bombeamento de Água por Energia Solar

SUA OPINIÃO

Você está otimista em relação a participação do Penapolense na Série A-2 deste ano?


CLIMA

Tempo Penápolis

fale com o DIÁRIO

Fone Atendimento ao assinante & comercial:
+55 (18) 3652.4593
Endereço Redação e Comercial: Rua Altino Vaz de Mello, 526 - Centro - CEP 16300-035 - Penápolis SP - Brasil
Email Redação: redacao@diariodepenapolis.com.br
Assuntos gerais: info@diariodepenapolis.com.br

ARTIGOS

06/08/2019

Música Sertaneja

Imagem/Reprodução
Detalhes Not�cia

Caro leitor amante da música sertaneja, hoje escrevo um pouco da história de duas duplas que deixaram suas marca gravadas para todo o sempre da história do nosso cancioneiro. Camões & Camargo e Bob & Robison, agradecendo nossa amiga jornalista e pesquisadora Sandra Peripato pelo apoio e pesquisas.

CAMÕES E CAMARGO
A dupla era formada por irmãos, que nasceram em Guarulhos, na grande São Paulo. Iniciaram a carreira artística nos anos 60 no interior de São Paulo. Apresentavam-se com um repertório composto de modas de viola, cateretês e guarânias. No início da carreira, tiveram o apoio e o incentivo da dupla Tonico e Tinoco. Apresentaram-se nos mais diversos programas sertanejos pelo país. Em 1981 gravaram o primeiro disco. Entre seus sucessos estão “Amantes inimigos”, de José Fortuna, e “Vida de Boiadeiro”, de Dino Franco. A dupla se desfez em 06 de julho de 1992, com a morte de Camões, vítima de um derrame cerebral. A dupla gravou 6 LPs. Camargo formou nova dupla com Odilon, com quem gravou 1 CD. Antonio Ferreira da Silva (Camargo), faleceu em 30 de janeiro de 2014, em São Paulo. Ele estava internado há alguns dias em estado de coma por motivo de uma queda, onde veio a bater a cabeça e encontrava em coma induzida e o quadro agravou e ele veio a falecer.

BOB E ROBISON
Dupla sertaneja. Compositores. Irmãos, iniciaram a carreira em 1983. Em sete anos de carreira lançaram seis discos. Em 1990, criaram sua própria gravadora pela qual lançaram naquele mesmo ano mais um disco, com destaque para “A Amante” e “Me Beija”, além de composições próprias e de Zezé Di Camargo, Mário Maranhão e Fátima Leão. Ficaram conhecidos como os sertanejos dançarinos, sendo precursores da arte de mesclar dança e música em seus shows. Gravaram ao todo 11 Discos entre LPs e CDs. Após 20 anos longe dos palcos estão de volta.

Amigos, semana que vem tem mais curiosidades e histórias da nossa música sertaneja, abração.

(*) Luiz Henrique Pelícia (Caipirão) tem o programa ‘Clube do Caipirão’ na Rádio Ativa FM 93,5 - segunda a sexta das 04:00 as 06:30 da manhã, domingo das 05:00 as 10:00 horas - www.clubedocaipirao.com.br . 
Caipirão escreve as terças-feiras para o DIÁRIO DE PENÁPOLIS

Luiz Henrique Pelícia (Caipirão) (*)



© Copyright 2020 - A.L. DE ALMEIDA EDITORA O JORNAL. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total do material contido nesse site.